Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Não sei porque te canto!

Não sei porque te canto!
Esqueceste-me!
Não mais te lembrarás de mim!

Guardo no coração
as tuas palavras,
meus olhos vêem-te,
meus ouvidos escutam-te,
Estás...
mas não estás.

Precisava ouvir-te mais
mas não posso.

Sinto-me só
abandonada
no meio do mar embravecido
e num barco sem leme.

Penetraste no meu mundo
sem que nada te dissesse
porque sempre me adivinhaste.

Agora, não tenho ninguém!...
Não sei dizer o que quero!...
E para quê falar?
Se tu tinhas dificuldade
quem poderá entender-me???!!!...

Não sei.

Vaguearei pela escuridão da vida
à procura de um outro alguém
que nunca por nunca
poderá ocupar o teu lugar,
porque és inconfundível!...

Que os anjos te protejam
onde quer que estejas.

No mundo, somos como pássaros,
precisamos voar,
procurar novos horizontes!...
Que o dia te amanheça!

Vou lutar
para fazer um dia claro
da minha noite escura,
não sei como,
nem com quem.
Mas...
para quê preocupar-me?!...
Afinal,
se a vida é uma aventura...
... eu vivo!

Hermínia Nadais

4 comentários:

yaleo disse...

Olá Hermínia!
Muitos parabéns pelo teu blog.
Tomei a liberdade de colocar um lik no meu blog, assim também é uma forma de divulgação.
Um beijinho grande e continuação de boas férias?

yaleo disse...

Boa noite!
Deixo aqui o desafio para participar na corrente da amizade.
Bjs

Janice Adja disse...

Achei lindo: " precisamos voar, procurar novos horizontes".
Parabéns!
Beijos!

Janice Adja disse...

Achei lindo: " precisamos voar, procurar novos horizontes".
Parabéns!
Beijos!