Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 16 de dezembro de 2007

Eu não sou eu

Eu não sou eu

Eu sou...
não sei o quê!
não sei...
eu não sou eu,
não me conheço
em nenhum dos meus actos
actuais!
Eu não sei mais
o que fazer
para ser
o que antes era.
Eu não sou eu...
e para o vir a ser
antes de mais
quero passar
este frio
e tormento invernal
para poder colher
sem nada mais
as doces e frescas
manhãs de Primavera.

Hermínia Nadais

2 comentários:

yaleo disse...

Um Feliz Natal e um próspero ano novo.
Beijinhos
Yaleo

Janice Adja disse...

Mudamos a cada instante. Não seremos o que fomos ontem ou o no mês passado.
Temos idéias novas a cada momento que vemos a vida passar nem que seja de uma janela. Somos seres de pensamentos "mutatis mutandis". Precisamos disto para sobreviver.
Beijos!