Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quinta-feira, 6 de março de 2008

LOUCO RADAR

LOUCO RADAR

Não sei porque estou
perdida
cansada
rodando sozinha
na berma da estrada
da vida que teima
em me desgastar
e eu não encontro
por onde fugir
de tanta tortura
que me faz partir
o corpo e a cabeça
alma e coração
não há confusão
que não me aconteça
e por mais que pareça
não posso encontrar
quem me ponha a mão
neste meu lidar
cheio de aflição
que me faz girar
em torno de mim
pois não posso crer
que ainda possa haver
uma vida assim
tão cheia e vazia
tão quente e tão fria
tão frágil tão forte
que por mais que tente
não vejo que aguente
esta dura morte
que aumenta na idade
e durará sempre
nesta orfandade
mas estou firme e crente
que não me atormente
na eternidade

Hermínia Nadais

Sem comentários: