Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

terça-feira, 1 de abril de 2008

NÃO!


Não procuro
nada,
porque não sou
nada
neste mundo escuro!

Não percebo
nada
porque não consigo
nada perceber!

Não sei como
vivo
porque não
consigo
aprender a ser!

Entre mim e o mundo
existe um vazio
tão largo e profundo...
que por mais que faça
nunca mais consigo
nele saber viver!


Hermínia Nadais

1 comentário:

Victor José disse...

Sinto-me tão pequenino, quando leio todos estes seus poemas, todos estes seus textos e lições de vida – também os do seu outro Blog.
Maravilhosa e incomparável paixão pela escrita e pela vida.
Os seus textos vão percorrer este planeta. Com o decorrer do tempo a sua divulgação é inevitável.
Parabéns e continue assim.
Bjinhos