Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

MARINHEIRO PERDIDO

Sem Estrela do Norte
Num barco sem leme
Nem que seja forte
Marinheiro treme.

O farol, na praia,
Quase não dá luz,
O homem aflito
Chama por Jesus.

Mas “Ele”, escondidinho,
Finge não ouvir,
E o manso barquinho
Vai a submergir.

E o marinheiro,
Sem ter salvação,
Atira-se à água
Em grande aflição.

Flutua nas águas
Quando sente alguém,
Uma tabuinha
Flutua também.

E o marinheiro,
Sem Estrela do Norte,
Nessa tabuinha
Se salva da morte.

12 comentários:

Caminhante disse...

Lindo.. lindo poema.
É verdade o Mestre às vezes dá-nos sinais e nós não nos apercebemos, era afinal Jesus naquela tabuinha.
Deixo aqui uma citação que lembro sempre em situações que preciso ajuda.
"Um dia um naufrago com a terra já no horizonte suplica ajuda a Jesus, Ele diz-lhe: - Eu ajudo-te meu filho, mas não pares de nadar".
E esta é uma grande verdade, mesmo com a ajuda Divina,temos sempre que fazer a nossa parte.
Um abraço

Multiolhares disse...

Quando caminhamos pela via correcta é mais fácil a porto seguro chegar
mas se nos perdermos a luz de Deus nos encaminha
beijos

Menina do Rio disse...

Não vou justificar minha ausência, mesmo pq não caberia.
Adoraria ter estado por aqui, mesmo pq meu blog fez dois anos e eu nem estava aqui pra comemorar.
Quero apenas deixar meu pedido de desculpas, agradecer pelas visitas, pelo carinho, por tantos comentários e pela preocupação.
Mesmo que eu quisesse e me desdobrasse, não daria para fazer isso individualmente e terá que ser aos poucos.
Hoje quero apenas deixar um beijo e dizer que vou lendo-vos na medida do possivel.
Mil desculpas.
Estou de volta!
Um beijo imenso!

Maria Jose disse...

Tantas tabuinhas
Que nos são lançadas
Nas águas, na terra
E até, nas calçadas

Tantas oportunidades
Que são um alerta
Para nos salvarmos
Naquela hora certa

É o amor de um PAI
Que não tem dimensão
Que luta e labuta
Para a nossa salvação

Muitos parabéns, Hermínia.
Que Deus continue a iluminá-la.
Bjs.

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Um mar de beleza e inspiração!
É lindo seu navegar poético!
beijos e borboleteios!

impulsos disse...

Mesmo quando tudo já parece perdido... eis que algo acontece e faz com que se dê uma reviravolta, mudando o que parecia ser o fim...

Beijo

tossan disse...

Gostei muito da sua rica e bela poesia. Vou continuar a degusta-las. Bj

SILÊNCIO CULPADO disse...

Hermínia
É lindo o poema. Lindo e intenso.
Sentir que perdemos tudo, ou que estamos em vias de tudo perder, pode dar-nos forças redobradas e decretar a nossa salvação.
Li algures que todos nós deviamos representar os bens que possuímos como se os tivéssemos perdido pois só quando os perdemos lhes damos o devido valor.

Mas teu pescador ainda foi a tempo. Num ápice de morte ele viveu.

Abraço

Jacky - Tudo posso realizar!!!! disse...

Vc como sempre bem inspirada.
Detalhe, adorei, como gosto de tudo que escreve... Bjos

Marta disse...

adoro a simplicidade do seu poema! Lindo.

Anónimo disse...

Hola, Interesante, não va um artнculo Este Continuar con?

Anónimo disse...

informações Awesome, muito obrigado ao escritor do artigo. É compreensível para mim agora, a eficácia ea importância é incompreensível. Mais uma vez obrigado e boa sorte!