Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quarta-feira, 18 de março de 2009

A CIVILIZAÇÃO DO AMOR


Sonhei com o HOMEM! Não com o que cruzamos na esquina, mas com o HOMEM... Humanidade.
Perplexa.... olhei ao redor! Era um HOMEM abismal... mais que gigante!!!...
Nele incarnada, minúscula, perdida algures... entre um sem número de seres minúsculos como eu, deambulávamos nos turbilhões da vida... enquanto a vida nos rodeava de confusões. Aos poucos... fomos descobrindo que os carinhos mútuos nos enchiam de sorrisos, nos recuperavam os ânimos e tornavam mais felizes os dias!
Tentamos sorrir... sonhar... partilhar... voar nas asas da esperança!
Uma auréola dourada abraçou-nos ternamente.
Que maravilha!... Finalmente... estava restaurada, na Humanidade, a civilização do amor.

segunda-feira, 9 de março de 2009

MULHER!...

Mulher! Olha a teu lado!...
Lembra o quanto sofrestes na tua vida
e com quanta força tens lutado
para sair do teu tormento!...
não te percas no lamento
e vai em frente na luta já assumida…
mas com cuidado e sem atropelar
quem quer que te contemple na subida.

Do “Ser Humano” de quem és parte integrante
o homem que contigo se confina
olhou-te muitos anos bem por cima
mas parece reconhecer mais confiante
que só unido a ti em cada instante
na luta contra a dor e a crueldade
poderão na união ver com verdade
mais semelhanças que diferenças para unir
e no coração das crianças ver florir
mais amor, mais carinho e mais ternura
para tornar a vida humana menos dura.

Mulher!
Tu viverás bem mais feliz e mais contente
se sem rivalidades ou contendas
compreenderes e amares mais
constantemente!
Ama!