Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sexta-feira, 31 de julho de 2009

A dor do Amor


Se Deus é Amor e nós somos de Deus, temos de ser Amor!
Assim, a dor do amor é o encontro connosco mesmos, com a nossa verdadeira realidade, com aquilo que somos na totalidade do nosso ser.

4 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Se Deus é amor, por que nos criou com a possibilidade de odiar...?
Não será mais simples dizer que Deus é tudo?
Desculpa falar assim, mas eu sou agnóstico, ainda que não tenha ódio a ninguém... "só" não consigo ter fé... ainda...
Querida amiga, boa semana.
Beijo.

Hermínia Nadais disse...

Amigão!Se Deus restringisse a nossa vontade, não seria Deus, ou então, nós não seríamos os seres humanos que somos, seríamos anjos.
Realmente, podemos dizer que Deus é tudo, muitas vezes dizemos, mas estamos enganados, porque Deus é tudo que não seja ódio, porque o ódio não é de Deus, Deus é tudo quanto seja amor.
Obrigada por me fazer pensar.
Abraço carinhoso,
Hermínia Nadais

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, gostei da tua resposta ao meu comentário.
De facto, se a moeda só tivesse uma face, seríamos seres amorfos, parecidos com as plantas... ou anjos, como disseste...
Abraçãozinho

Vieira Calado disse...

...E que assim seja, amiga!

beijinhosss