Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Noites de Verão



A Lua desperta numa escuridão cerrada... joga às escondidas com as nuvens... e desliza brandamente por entre o brilho jubiloso das estrelas! Lentamente, do seu corpo opaco desprendem-se ténues reflexos do Sol que inundam a terra de uma luz suave, terna, carinhosa e doce. Radiante de felicidade continua a sua rota enquanto o Sol apressa no espaço a sua desenfreada correria.
Cansada, cai adormecida acalentada pelo silencioso canto das estrelas que, placidamente, adormecem também!
Então os raios solares começam a fustigar fortemente a terra... enquanto os homens ensopados e saudosos da frescura da noite anseiam o olhar cândido da Lua.

Sem comentários: