Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quarta-feira, 26 de agosto de 2009


ENCONTREI

Encontrei
razões para descrer
de tudo quanto me possa acontecer.

Encontrei
o desânimo constante
neste mundo incerto e degradante.

Encontrei
rastos de amargura
onde deveria haver muita ternura.

Encontrei
desilusão e dor sem fim
porque nada nem ninguém olha para mim.

Encontrei
deslealdade e ingratidão
espinhos a cravar meu coração.

Encontrei
o fundo do meu foço
donde eu quero sair e já não posso.

Encontrei
espinhos sem rosas
nas noites amenas e tardes calorosas.

Encontrei
o Sol sem a Lua
saltitando em desespero ao longo da rua.

Encontrei
no espelho da minha alma
tudo quanto me tortura e tira a calma.

Encontrei
no mar calmo e transparente
água salgada e areia descontente.

Encontrei
no vento forte e vigoroso
uma brisa amena que enche de gozo.

Encontrei
atroando os ares
calmos aviões com loucos radares.

Encontrei
abismos de tortura
nas palavras mansas de ventura.

Encontrei
o nada que não queria encontrar
porque o nada não existe e ninguém o quer achar.

Praia da Rocha, 2008/08/18 – 16.44

4 comentários:

Henrique Alves disse...

Muito bonito!!!
"Uma brisa amena que enche de gozo".

Henrique Alves disse...

Muito bonito!!!
"Uma brisa amena que enche de gozo".

Poemas Novos disse...

Simples e belo... parabéns

Jacky - Simples assim!!! disse...

Lindo... muito belo