Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 27 de setembro de 2009

Cruzar dois mundos


Cruzar dois mundos
é viver na cruz.
Casar dois mundos
é viver na dor.
Descobrir de dois mundos
o que em cada mundo
pode ser cruzado
é o trabalho mais difícil
que alguma vez
pode ser efectuado.
E quando num dos mundos
não há sinceridade
o outro mundo
esbarra na maldade
arrasante da ilusão
que faz cada dia
em pedaços
a vida a alma e o coração.

4 comentários:

Vieira Calado disse...

Pois... amiga!

O mundo está todo às avessas!

Um beijinho para si.

Vieira Calado disse...

Olá, de novo!

Pois... torna-se longe para si

vir a Lisboa à apresentação do meu livro.

Mas, para essas situações e para quem o desejar, estou a propor enviá-lo daqui, devidamente autografado.


O livro custa 9.80 (preço de livraria) mas eu tenho o prazer de oferecer outro livro meu.
"Poemas Soltos & Dispersos",
volume 2.

Depois me dirá.

Desde já o meu obrigado pelas suas palavras e interesse.

Beijinho

Tia_Cunhada disse...

A rasar a filosofia. Muito bom!

Edson Carmo disse...

A Cruz tem um sentido profundo, ela é o encontro do horizontal com o vertical. O horizontal representa a humanidade. O vertical representa Deus. O coração de Jesus é o centro, representa o amor redentor - o que faz esta ligação humanidade e Deus. As últimas palavras de Jesus foram: “Está consumado”. Que alegria.

Parabéns Senhor Jesus; parabéns humanidade.

Edson Carmo