Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

terça-feira, 27 de outubro de 2009

ESPERANÇA


A ausência da luz do Sol mostra-nos a noite... e quando as nuvens escondem a Lua e ofuscam o brilho das Estrelas ficamos sepultados em tamanha escuridão que por mais que os homens procurem as formas mais sofisticadas de a iluminar ela continua a esconder as maiores atrocidades, ignorância e ferocidade!...
De quando em vez são revistas ou desvendadas as atitudes da noite... na ESPERANÇA de que, sempre que o Sol inunde a Terra depois de nos fazer reviver o alvorecer de mais um dia... a utópica felicidade seja mais sensível nos atribulados corações dos homens insatisfeitos e desesperançados.

4 comentários:

Vieira Calado disse...

Olá, caríssima!

Por isso eu escrevi

Viagem Através da Luz!

A talhe de foice.

O livro vai a caminho.

Obrigado

Bjs

neo-orkuteiro disse...

Vennho fazer-lhe visita retributiva e de agradecimento por sua ida ao bonde. Aproveito para ler Esperança, este seu minitexto. Nota-se a predominância da cor verde na ilustração. É comum associar-se esta cor à esperança, assim como o branco à paz, etc.
Diz: "sepultados em tamanha escuridão que por mais que os homens procurem as formas mais sofisticadas de a iluminar ...". Sim, procuramos isto. Tanto pela avançada engenharia elétrica como de outras formas, para o resultado apontado em seu texto, sem dúvida.
Meu carinho.

suruka disse...

Que saudades!
Passei para visitar e deixar
um abraço.
www.jonelmusico.blogspot.com

Tia_Cunhada disse...

Obrigada pela sua visita lá pelo meu sítio!
Vim aqui espreitar e gostei do que vi e do que senti.
Vou voltar!
Para já, deixo-lhe um abraço pelo magnífico post.