Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

terça-feira, 6 de julho de 2010

Confusão...


“Ódio e amor caminham lado a lado. Dentro de cada homem travam uma luta constante”.
Que realidade incompreensível???!!!...
João, decide experimentar a confusão!
Odeia a injustiça social... e distribui os bens supérfluos e úteis aos outros; odeia a preguiça... e ganha mais dinheiro; odeia a ignorância... e estuda mais, documenta-se, abre caminho ao saber; odeia a calúnia, a insensatez, a indignidade, a indiferença, a pobreza material e humana, o próprio ódio... e intensifica o amor.
Passado algum tempo... pára, pensa, exclama:
- Valeu a pena! Sinto-me mais homem, mais pessoa, mais realizado e feliz. Afinal... esta confusão... é imprescindível à vida!