Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Convite!



Hoje, nesta manhã, senti mais profundamente a voz de Alguém, assim, muito delicadamente, e eu resolvi partilhar!


Minha querida filha!

Ainda tu não tinhas sido formada no seio de tua mãe e Eu já pensava em ti, já te amava com todas as minhas imensas forças!
Acompanhei-te durante toda a tua vida, sentindo todas as tuas alegrias e tristezas, alegrei-me quando te vi alegre e fiquei triste quando te senti infeliz.
Há muito que penso em ti, em chamar-te para o meu serviço, em pedir-te para gostares muito de ti… mas sem exageros pois se te amares exageradamente a ti mesmo ficas egoísta e isso não é bom, pois impede-te de Me amares a Mim e às pessoas com quem convives como a mim, por Meu amor.
Esperei ansiosamente que chegasse o momento de te fazer ouvir a minha mensagem!
O momento chegou! Hoje resolvi, assim, convidar-te ao amor! Convidar-te a amar… amar sempre…
Eu sei que é muito difícil… mas Eu prometo estar sempre contigo, ao teu lado, em todos os momentos da tua vida, principalmente nos que te forem mais dolorosos, para te ajudar nas tuas fraquezas e preocupações!
Não desanimes! Ama! Ama sempre, porque, amando… poderás fazer tudo quanto quiseres!

Deste que quer que O reconheças como tua inseparável companhia… que sempre te amou… sempre te ama e se te entrega em todos os teus momentos sem peso nem medida… Deste que sempre te amará, como tu fores… e faças tu o que fizeres…

Jesus