Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Encontro


Tanto que mexer
tanto que fazer
tanto que lutar
que não sei ao certo
por que lado eu hei-de
em tudo pegar.

Resolvi sentar
parar
pensar
escutar
falar…
abstrair-me do ruído do mundo
e ficar aqui só, a descansar,
a tentar a todo o custo
fazer silêncio no meu coração
para que Alguém, assim,
possa, por fim,
abrir-me as clareiras
tão precisas
para sair desta imensa
confusão.