Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... a experiência humana!



Não interessa quando poderá ter surgido a existência humana. O ser humano existe… há um tempo indeterminado, indefinido, que os homens apenas podem tentar prever, pois a verdadeira realidade não está ao alcance do homem, pelo menos por agora!
Toda a vida é um mistério… mas o maior mistério para cada homem e cada mulher é a sua própria existência, o desenrolar da sua própria vida, as descobertas que vai fazendo de si mesmo, as capacidade ou incapacidades que vai descobrindo nas suas vivências de cada dia.
O fenómeno da globalização trouxe um enorme desenvolvimento social, que por ser uma enormidade, se defronta com inúmeros problemas.
O que é natural numa determinada sociedade pode não ser aceite numa outra, pois cada povo tem as suas características especiais e o seu modo de ser e de viver. Por isso, as atitudes de cada povo ou pessoa têm de ser vistas e interpretadas dentro do seu contexto pessoal e social.
Se este tem de ser o nosso comportamento normal face à diversidade de povos do mundo, se tivermos em conta o desenvolvimento psicossocial através dos tempos teremos de ser ainda mais cuidadosos, pois os comportamentos humanos, nos acontecimentos do passado, têm de ser interpretados à luz da mentalidade e vivências específicas da época em que se foram desenrolando.
Em cada tempo, o Homem será sempre o fruto do passado numa constante transição para o futuro! O passado, porque passou, já nos não pertence, e o futuro, apenas está nas nossas mãos o prepará-lo, uma vez que podemos não chegar a vivê-lo.
A vida é feita de experiências, e se são as experiências da vida as melhores mestras do futuro, não podemos passar a vida a contestar as más vivências do passado! Devemos, sim, lembrá-las, mas somente para prepararmos um melhor futuro, pois as vivências menos boas devem servir-nos de suporte para melhorarmos a nossa maneira de ser. Cabe-nos, a cada instante, viver intensamente o presente na esperança de um futuro promissor.

1 comentário:

Amor feito Poesia disse...

diz...diz prá mim,
onde se escondeu...
em que lua vai voltar...
em que sonho, volte logo anjo meu.

(Markinhos Moura)

Amor & Poesia na sua noite...M@ria