Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

terça-feira, 17 de abril de 2012

Vida!...



  
Tantas mágoas sentidas
nas agruras das vidas!
São aprendizagens que teremos que aproveitar
para nos sentirmos
cada vez mais realizados e felizes.
Felizes?...
Quando se fala em felicidade,
o coração pula de alegria,
pois mesmo consciente
de que neste mundo é uma utopia,
a verdadeira alegria
existirá em plenitude,
um dia,
quando os ventos
já não nos chocarem os sentidos
nem as chuvas
nos encharcarem os cabelos
quando,
leves como penas planando na atmosfera
o Senhor dos senhores
nos arrebatar deste mundo encantador
para aquele local extasiante
que exatamente ninguém conhece
mas todos aspiramos habitar
um dia
saboreando plenamente o AMOR!

Hermínia Nadais

12 comentários:

Irene Alves disse...

Amiga será que autorizava que eu
colocasse este seu poema no meu
http://sinfoniaesol.wordpress.com
com os devidos créditos? Gostaria
muito.Pode deixar um comentário
com a sua resposta.
Desejo que esteja bem.
Um grande beijinho
Irene

* Ave.Lys * disse...

Querida Hermínia

Esse Amor ainda ninguém experimentou neste planeta,,,embora se diga aos sete ventos que "o amor se faz", que baixaria esta expressão. As pessoas sabem lá alegrar-se no amor...elas alegram-se mo que têm ou no que pensam ainda adquirir...e amor, só lhes basta quando acompanhadas...pergunte a qualquer um/a se sente amor quando em solidão?! Dizem que isso é impossível...apenas porque não sabem senti-LO!
Minha querida amiga, tem uma pequena homenagem bem como a outros elementos da minha família espiritual que neste 4º ano de vivência nesta blogosfera, quem não se mostrou firme em sentimentos, adoptou por ser invadido por negatividades que se spoderaram das suas consciências e daí vieram as traições, as hipocrisias, as maledicências, as mentiras, as insinuações e porque os seus "egos" ainda falam mais alto que as suas almas/espírito!
Sabem lá essas criaturas do que a minha amiga aqui nos deixa?!
Deixo um beijo grande e um abraço daqui até aí.
Sempre...
M.

Hermínia Nadais disse...

Querida amiga!

Obrigada pela visita e pela força das palavras ditas que levantam almas caídas e alentam corações trémulos e crepitantes, que vagueiam na busca constante do AMOR e da LUZ, da PAZ e da LIBERDADE, da SOLIDARIEDADE e COMPREENSÃO, da TERNURA e CALOR HUMANO, da HUMILDADE e PERDÃO!

Beijinhos e um abraço muito longo e apertado!
HN

Hermínia Nadais disse...

Amiga Irene!

Sinto-me acariciada e um pouco sem palavras!
Se é assim do seu gosto, coloque lá o poema no seu espaço, pois com certeza também irei gostar de o ver lá, com os devidos créditos, como diz.
Não sei que créditos serão nem como ficará, mas logo se vê.
Obrigada pelo carinho!
Beijo e tudo de bom,
HN

Irene Alves disse...

Minha amiga venho desejar um Feliz
e Santo Fim de semana.Bj.Irene

irene alves disse...

Querida amiga, ainda não tinha
terminado o post, quando lhe for
possível, fará o favor de vê-lo
de novo.Bj.Irene

Anónimo disse...

Obrigada pela visita ao blog,e as minhas desculpas de só agora responder,tenho estado doente e faltei a este espaço.
Beijinho e boa semana
Maria Elisa
http://maripossa.blogs.sapo.pt

Hermínia Nadais disse...

Vou ver o post, onde, Irene! Eu não sei ver nada! Não tenho traquejo nestas andanças! Tudo bem!
Beijinhos

Irene Alves disse...

Obrigada Hermínia e força para
os problemas que ambas estamos
a atravessar.
Um grande beijinho
Irene

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema.
Gostei muito das tuas palavras.
Como sempre...
Hermínia, querida amiga, tem um bom resto de semana.
Beijo.

Unknown disse...

Ola

Unknown disse...

Ola1