Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

NOITE JUNTO À PRAIA!





O Sol desapareceu por detrás do mar e a sua ténue luz deixou tecido nas águas um brilho ondulado onde o prateado cada vez mais cinzento foi escurecendo por completo toda a superfície marinha. Agora, mais descontraídas pela densa escuridão, as ondas, ritmadas, beijam levemente a areia liberta de olhares curiosos e sedenta de carinhos mais secretos.
Durante longo tempo, do rendilhado espesso que deambula no horizonte, sobressai uma mancha de azul celeste, o azul deslumbrante do firmamento, o último a deixar de ser iluminado pelo Sol e que, quando não coberto pelas nuvens, nos inebria com o brilho suave e doce das estrelas.
Enquanto, lentamente, anoiteceu, as luzes que ladeavam a costa tornaram-se mais pasmosas no seu tom amarelo e pleno de ternura. Então… “jovens” de todas as idades aproveitam para fazer as suas caminhadas aconchegados pelo ruído dos motores que accionam os poucos veículos que, vagarosamente, vão circulando pela rua.
Noites saciadas de delícias que tornam os seus momentos inesquecíveis.
Pouco ou nada mais belo do que viver o cair da tarde e início da noite, assim, sorvendo as delícias encantadoras do mar e de todo o seu ambiente circundante.

Hermínia nadais

1 comentário:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Aão momentos mágicos amiga. Maravilhosamente bem escrito
por si.
Tenha um excelente e santo
domingo.Bj.
Irene