Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

terça-feira, 9 de outubro de 2012

A Fé e a Caridade



A Fé e o Amor são inseparáveis: se eu acredito, eu amo; se não acredito, eu abomino.
O Amor é raiz de toda a Caridade e o único caminho da Caridade, pois nunca será possível a prática da verdadeira Caridade sem vivências profundas de um verdadeiro Amor.
Gostar ou não de alguém é condição suficiente para se lhe prestar atenção ou não, para se ajudar ou não ajudar. Este comportamento é apanágio de pessoas coerentes com a prática da crença humana, é um comportamento onde reinam as regras de moral e bom costumes. Caridade e Amor são palavras que muitas vezes se unem, ou melhor ainda, se sobrepõem de tal modo que muitas vezes se confundem.
A Fé e a Caridade andam de mãos dadas. Esforçarmo-nos por conhecer melhor a Deus leva-nos a acreditar cada vez mais em Deus e a amá-LO mais, e mediante o aumento do amor a Deus amamos mais o próximo, amigo ou inimigo, de quem gostemos ou não, e vamos socorrê-lo cada vez mais da melhor forma que pudermos e sempre que isso seja necessário, vendo nele, em cada instante, o verdadeiro rosto de Deus presente na atualidade.
Esta é a prática da verdadeira Caridade sobre o que a Palavra de Deus fala inúmeras vezes, tanto no Antigo como no Novo Testamento. A Caridade pode ser realizada com obras destinadas a socorrer as pessoas corporal ou espiritualmente, ela é a prática do verdadeiro amor. Ajudar para receber recompensas, favores, elogios ou mesmo só um muito obrigada não é praticar a verdadeira caridade, na maioria das vezes é, isso sim, cuidar do amor próprio e do egoísmo exagerado. A Caridade faz-se de forma gratuita, sem esperar nada em troca, além do que a prática da Caridade produz que é muita satisfação e alegria.
Praticar a Caridade é viver no amor, é amar ao jeito do Senhor Jesus, é entregar-se à resolução das necessidades do outro por amor a Deus, e por a grandeza desse amor a Deus, amar o próximo como a Deus… e amar a Deus e ao próximo com a mesma intensidade, porque se consegue ver no próximo a própria imagem de Deus.
É muito verdadeira esta afirmação: “Quem diz amar a Deus que não vê e não ama (não pratica a caridade com) o próximo que vê, é mentiroso e a verdade não está nele”.
E mais ainda: “Podes ter fé de arrastar montanhas, mas se não tiveres caridade, amor, de nada te valerá”.
Não há Caridade sem Fé, e fé sem caridade não tem valor nenhum.
“Mostra-me a tua fé pelas obras que pelas minhas obras te mostrarei a minha Fé”, pois cada pessoa será sempre o que for a sua Fé.
Hermínia Nadais

1 comentário:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Fé e Caridade têm que andar de
mãos dadas. Concordo.
A amiga escreve muito bem.
Depois é uma pessoa de Fé e isso
é muito importante nos dias de
hoje.
Desejo que se encontre bem.
Um beijinho
Irene Alves