Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

terça-feira, 20 de novembro de 2012

O serviço humilde




Jesus fez-se homem para que o homem conseguisse compreender a sua fragilidade e desse glória a Deus. Veio sem pecado cheio de misericórdia ao encontro dos pecadores.
Para que tudo esteja sob os planos de Deus, é preciso que Jesus cresça na bondade do homem e que o homem diminua os seus maus comportamentos, que o homem tome consciência da sua pequenez e reconheça a infinita misericórdia do Senhor!
O homem não deve preocupar-se com o fim do mundo, mas ocupar-se em viver o serviço humilde neste mundo com justiça e piedade, buscando e fazendo aumentar na terra o Reino de Deus, ao qual todos os homens são chamados.
Na estrada da vida Deus vai-nos oferecendo sinais onde devemos atuar como cristãos: pessoas aflitas a necessitar de ajuda, corações partidos a precisar de ternura e carinho, gritos abafados de socorro que pedem um pouquinho de atenção...
E é à “estalagem” chamada Igreja que são todas as pessoas batizadas na fé em Jesus Cristo que cabe cuidar da humanidade até o Senhor voltar, na hora da morte de cada um!
O Senhor torna-se presente todos os dias na Eucaristia, o sacrifício de Cristo na Sua Morte e Ressurreição, onde a comunidade que participa clama: "Vem, Senhor Jesus".
Jesus pede sempre a nossa livre adesão à fé que se expressa no amor por Ele e pelo próximo. Ninguém é tão pobre que não possa dar alguma coisa… nem tão rico que não tenha nada para receber.
A vida, para ser um constante crescimento como o Senhor pretende, é um dar e receber constante!
Saibamos dar-nos a quem de nós necessita, pois é dando que se recebe, perdoando que se é perdoado, e é morrendo para os nossos egoísmos e mesquinhices que viveremos dignamente como convém, na verdadeira felicidade que, neste mundo, nunca será perene! 

Hermínia Nadais

Sem comentários: