Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Aprofundar a Fé




A nós, que nos afirmamos cristãos, filhos da luz, com os corações abertos a Cristo Salvador que se nos dá permanentemente na Palavra Deus e no Pão Eucarístico, devemos anunciá-Lo a todos os homens, pelo que o ano 2013 é de suma importância!

Este Ano da Fé, deve renovar-nos a cada instante na chama da Fé e enraizar-nos mais no Amor de Deus, o que nos abrirá novos caminhos de cultura universal para que Jesus Cristo brilhe esplendorosamente na Humanidade construindo no mundo a tão desejada civilização do amor que Ele próprio veio implantar entre nós.

A chama da Fé e o fogo do amor são o segredo da segurança e sabedoria que pela força do Espírito Santo nos levam a cantar sempre com Jesus Cristo entre os homens, com os homens e pelos homens, os louvores de Deus!

Oxalá que este ano nos leve a reavivar de modo autêntico e fecundo a chama da fé e a convidar a humanidade inteira a encontrar aquele Deus “de quem afastar-se é cair… a quem dirigir-se é levantar-se… em quem permanecer é estar firme… a quem voltar, é renascer… e em quem habitar, é viver”’, como afirmou Santo Agostinho!

É hora de abrir a verdade de Cristo, “A porta da Fé” a toda a humanidade com todas as suas diferentes culturas e segmentos, para, pela ação do Espírito Santo, rever, modificar, tirar, substituir, aprofundar e qualificar o modo de ser de cada indivíduo como pessoa e como cristão, fazendo tudo para levar as pessoas que connosco convivem a um encontro pessoal e profundo com Cristo, única e verdadeira razão da nossa Fé.  

Além de termos de estar atentos aos que estão distantes da Fé, é ainda mais urgente qualificar os que nela vivem ajudando a provocar neles e nelas um encontro pessoal com Jesus Cristo, revendo, avaliando, escutando, planificando a nossa ação apostólica de modo novo, simples, aberto, vivencial e eficaz, para que todos descubram ou redescubram o verdadeiro caminho da fé!

Iluminar a quem connosco convive e a onde pudermos chegar de algum modo a possibilidade de um encontro profundo e pessoal com Jesus Cristo, é ajudar a abrir a todos “A porta da Fé” pois depois de efetuado a encontro, os dois, cada pessoa com Cristo, continuará o seu caminho, porque… a Fé é um caminho a percorrer que só com a morte chegará ao seu fim!

Hermínia Nadais

4 comentários:

**Viver a Alma** disse...

Amiga
Fé...PRECISA-SE!
Quando é que a maioria se apercebe que a sua vida de nada vale sem esse dom maravilhoso que Deus nos deu e vem sendo tão mal aproveitado. Depois queixam-se e lamentam-se da crise... - enquanto for apenas isso....

Vim desejar que sejam surpreendentes todos os dias e meses que o Ano encerra.

acompanhado de um gesto sereno e um sorriso


Mariz

irene alves disse...

E como nós precisamos de ter Fé este ano, se possível, mais do
que nunca.
Amiga um beijinho e bom domingo.
Irene Alves

**Viver a Alma** disse...

Viva Hermínia

Passei por aqui ainda em convalescença, porque só vi ontem que me tinha ligado. Lamento não ter atendido, porque o tlm estava no silêncio e já não pude retribuir...agora só por aqui e assim fiz.
Também reparei que colocou um novo post e como habitualmente responde a quem lhe escreve, vinha ler o que eventualente me tinha escrito, já que não falámos.
Mas paciência.

Desejo tudo de bom
Um beijo
M.

Hermínia Nadais disse...

OLá amiga!
Obrigada por ter vindo aqui!
Peço imensa desculpa por não ter respondido ao seu primeiro comentário, mas li a correr e fiquei por ali.
No dia 5 foi a festa de aniversário dos filhos do meu filho em casa da minha filha, com os amigos do meu filho e minha nora. Ainda bem que o meu genro não estava de serviço e estivemos todos juntos, correu muito bem mas foi deveras trabalhoso. Dia 5 à noite e dia 6 fomos às Jornadas vicariais da Fé no Santuário de Santo António! Depois... não tenho podido vir ao gmail, sinceramente mais por me esquecer do que pela falta de tempo.
Enfim... os anos vão passando e começamos a ficar esquecidos.
Pelo que me diz, tem estado doente e isso é muito mau, saúde e boa disposição são muito necessárias ao bom desenrolar da vida... mas temos que ir levando as coisas o melhor possível!
Desejo-lhe rápidas melhoras... e vou ver se amanhã depois das 21 horas, se tudo correr como penso, ou melhor dizendo, se não tiver que sair de casa para alguma emergencia vou ver se consigo ligar-lhe para falarmos um pouquinho, está bem?
Beijinhos,
Hermínia