Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

ANJO PROTETOR



 Tenho um anjo protector
nas horas de solidão
quando se vive de amor
nunca as agruras do horror
esmagam o coração.

Ainda que só na vida
solidão não faz sentido
tudo o que tenho sofrido
não dá pena ou dó de mim
chorar de agruras não vou
pois com tudo eu cresci
para ser o que hoje sou.

Gosto de viver assim
voltar ao que fui não vou
não quero tais aflições
nem meter-me em confusões
prefiro de longe estar só.

Muito só e acompanhada
como sempre estive e estou
cansada do meu lamento
serei feliz podem crer
viva eu como viver
ainda que no tormento.

Hermínia Nadais

1 comentário:

Maria Rodrigues disse...

Minha amiga um poema de vida e força de vontade, belo e tocante. Que a paz e felicidade a acompanhem sempre ao longo da sua caminhada.
Bom domingo
Beijinhos
Maria