Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 31 de março de 2013

PRIMAVERA






O Inverno despediu-se:
levou o frio,
a trovoada,
a neve branca,
a geada...
As longas noites escuras
que precederam
e sucederam
aos dias curtos e cinzentos,
necessários,
mas de tormentos...

Então, cheguei!...
Alegre e airosa,
suave, carinhosa,
aumentando a claridade e o fulgor
dos dias que aumentam seu calor...

Estou feliz!...
Olhei para um pomar:
as árvores como noivas
a noivar,
ornadas de grinaldas
multicores
entre os amores
dos passarinhos a chilrear
de ramo em ramo
a voar
construindo os seus ninhos
que servirão de abrigo aos seus filhinhos...

E, a chegar,
vinham as andorinhas
muito pretinhas
com seu peito alvo de neve,
planando no espaço
como folha leve!...

Os meus dias, no seu decorrer,
lençóis de verdura farão aparecer...

As árvores, agora alvas noivas,
que às abelhas fornecerão
o farnel,
depois da lua de mel
suas copas de verdura encherão,
e os seus doces frutos surgirão.

A Natureza
ficará no auge
da sua beleza!...

E as flores,
multicolores,
por toda a parte
deixarão odores...

Tudo no Mundo ficará, assim,
como um jardim,
quando os meus dias
chegarem ao seu fim!...

Então...
Irei feliz, para outra terra...
enquanto, com ansiedade,
meus amigos suplicarão com saudade:
-Vem depressa, ó Primavera!...

quarta-feira, 20 de março de 2013

HOJE COMPREENDI!




Hoje compreendi que vaguear é aprender
lutar é crescer
e de nada vale remar contra a maré
porque as águas encasteladas não dão espaço
a que alguém sem muito saber lidar
fique de pé!

Hoje compreendi que amar não é estar
perto de quem pensamos amar
mas é saber saltar fora quando mais convém
para fazer crescer
quem necessita de aprender
a saber estar
e viver bem!

Hoje compreendi que não sei estar nem ser
e que preciso de prestar
muita atenção e aprender
a melhor ouvir interiorizar e compreender!

Hoje compreendi que a beleza das coisas
só satisfaz a vida
se olharmos o mundo com os olhos
que ao amor e à beleza dão guarida!

Hoje… compreendi…

Hermínia Nadais

sábado, 9 de março de 2013

Buscar o Reino de Deus, acima de tudo, na Família

Desde sempre, mas a levar mais a propósito nesta época do ano e neste e Ano da Fé, buscar o Reino de Deus, além das pessoas consagradas, é uma vocação de todos os cristãos confessos, os Fiéis Leigos! Na vida normal, tratando das coisas temporais, devem ordená-las segundo Jesus Cristo, Deus/Palavra, que nos apresentou e continua a apresentar através da Sua Igreja a verdadeira vontade Deus. Os Fiéis Leigos, como cristãos batizados, são parte integrante da Igreja, chamados a ser fermento da santificação do mundo, orientando toda a sua vida segundo o Evangelho mostrando Jesus Cristo aos outros principalmente com o testemunho da sua própria vida, impregnada de fé, esperança e caridade” (LG 31).

Ainda. Segundo a Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi (n. 73) os leigos podem sentir o chamamento ou ser chamados, segundo a graça e os carismas de cada um, a colaborar com os Párocos nos diferentes ministérios para o crescimento e vitalidade da comunidade eclesial.

Todos os leigos conscientes têm a obrigação de participar ativamente na nova evangelização que leva à promoção humana e da cultura cristã, a começar pelos batizados não evangelizados, e ter em conta também que os jovens mais despertos sejam preparados para evangelizar os jovens, principalmente na catequese e na participação ativa na Comunidade de Fé. Mais do que nunca, é preciso que, a partir da Família e vida Paroquial, sejam obtidas experiências missionárias para poderem trabalhar convenientemente na Comunidade segundo a Fé Cristã que professam. Os jovens têm mais propensão para aproveitar a internet, e a arte, o desporto, música, teatro, canto… e outras atividades, que podem e devem ser aproveitados como espaços essenciais para a nova evangelização.

Depois, há a secularização, que não consegue eliminar a questão religiosa, pois dizem muitas vezes não acreditar em Deus porque não O conhecem, mas buscam-nO pois evocam-no inúmeras vezes e é urgente que lhe seja mostrado o caminho para um encontro profundo com Ele.  

A Fé não deve ter medo de encontrar-se e de se expandir no mundo da ciência e da técnica, pois as três devem andar de mãos dadas tendo o mesmo olhar de Cristo/Deus. O crescei, multiplicai-vos e governai a terra são ordens de Deus à humanidade que, consciente ou inconscientemente, busca incessantemente o transcendente.

Ciência e religião não podem estar em conflito, mas completar-se. 
Hermínia Nadais 
 in 
http://omeuanopaulino.blogspot.com