Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sábado, 10 de agosto de 2013

DESOLAÇÃO




Nunca pensei encontrar
este panorama triste
que pensei estar enterrado
e afinal ainda existe!

Trânsito amalgamado
numa planície sem fim
com tudo desmantelado
bonito mas muito rim!

Algo perdido no tempo
num espaço encantador
que o homem tem tornado
espetáculo aterrador!

Português fala em pobreza
e está de barriga cheia
precisa ir mundo além
para ver a miséria alheia!

Tudo escuro como breu
casas favelas e montes
nuvens escuras no céu
e mágoas amargas nas frontes!

Sem comentários: