Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 5 de janeiro de 2014

A MINHA TOALHA XADREZ





Foi muito bonito e bom o meu Natal, que espero venha a ser de todos os dias!
Mas hoje, quando a noite acabou o relógio disse que eram horas de sair!
Levantei-me… à escuta de uma lamúria quase imperceptível, acompanhada de alguns suspiros reprimidos e abafados ais!
Saí a ver, apressada! Era a toalha xadrez que, depois da longa ribalta com cozinha repleta e mesa a transbordar, se vê agora prestes a descer à gaveta fechada, monótona, mofada e fria, à espera de que os membros da família, agora ausentes pelos afazeres profissionais na busca de melhor vida se possam juntar de novo para confraternizarem enchendo os estômagos e a vida da mais fulgente alegria, boa disposição, ternura, fraternidade, amizade, carinho e muito amor!
Então, afagando-a, lhe respondi: “És muito linda minha toalhinha, não chores! Eu também fiquei aqui sozinha com o meu cara metade, os dois, neste casarão frio e nu. Eu vou deixar-te aqui mais um pouquinho! Ainda hoje vamos almoçar sobre ti, minha linda, assim, branca de neve e verde de esperança! Aceita a tua vida… assim como eu aceito a minha, pois é com ela que temos de viver!”
De corrida, fomos à Missa… e no final arranjei o almoço que minha sogra, filha e netos, vieram partilhar.
Entretanto, aos poucos, a toalhinha verde e branca deixou de chorar! E quando, no final da refeição, a enrolei para sacudir, pareceu sorrir para mim como que a dizer: “Tens razão, amiga! As pessoas são livres de viver como e onde podem ou precisam, e nós temos de respeitar as suas vidas com todos os seus quereres e opções! Não te preocupes que não mais me irei lamentar!”
E foi assim que ficou à espera de ser lavado e cuidada para, depois de algum tempo de espera, se apresentar outra vez na mesa com a frescura de uma flor acabada de cortar… para cortejar aqueles amigos que a retiram da solidão e lhe dão espaço ao ar livre e à luz do dia… e me enchem de muito… muito gozo e imensa felicidade!
Hermínia Nadais

5 comentários:

Anónimo disse...

QUEM NÃO TEM CRIATIVIDADE MOSTRA ALGO QUE OUTROS FIZERAM COMO SE NOTA NOS SEUS BLOGS. COMO TEM TELHADOS DE VIDRO NÃO DEVERIA IR COMENTAR ANONIMAMENTE NO BLOG DE ALGUÉM DE QUEM NADA SABE E SÓ SE LIMITOR A SER INVEJOSA, MALDOSA E ISSO É O CONTRÁRIO DAQUILO QUE TENTA FAZER PASSAR...AFINAL NÃO SE COMPORTA COM A RELIGIOSIDADE QUE PASSA PARA OS OUTROS!
INTRIGUICES É DE QUEM É GENTE MENOR!

VEJA SE GOSTA TAMBÉM DE TER UM COMENTÁRO ANÓNIMO MAS DESRTA VEZ COM JUSTA CAUSA E NÃO,COMO SE MANIFESTOU NOUTRO LUGAR DESTA BLOGOSFERA.
PARECE MENTIRA! C OMO AS PESSOAS ENGANAM! SÃO RESSABIADAS!!!

Anónimo disse...

NÃO VOLTE A REPETIR A PROEZA PORQUE SENÃO SAI-SE MAL! FICA AVISADA.

Leila Bomfim disse...

Olá Hermínia, que belo texto. As toalhas de mesa do natal são mesmo muito solitárias, vivem o esplendor de uma noite apenas...um grande abraço...

Hermínia Nadais disse...

Com a Leila já me comuniquei!

Agora, ao meu... ou minha muito amiga anónima! Digo amiga ou amigo, pois não sei se é homem ou mulher, mas penso ser mulher porque homem não me parece poder ter uma postura assim. Disse o que pensa, lá terá as suas razões,mas não é comigo, sabe! Eu gosto de ser frontal, nunca iria comentar nada anónimo, e muito menos para magoar quem quer que fosse.
Diz que eu não tenho originalidade... depende dos pontos de vista!Há coisas que escrevo que são unicamente minhas, há outras em que misturo o que escrevo e o que outros escrevem para que os leitores possam ver que não me julgo senhora da razão, mas aprendo com as pessoas que têm alguma coisa para me transmitir, e tenho muito orgulho nisso!
A senhora... ou o senhor... talvez sem o querer, ensinaram-me muito. Disseram-me que não devemos incomodar nem tentar amedrontar ninguém sem ter certezas do que dizemos, porque isso é muito feio e muito mau. LER OS SEUS COMENTÁRIOS FEZ-ME MAIS FORTE COM AS INJUSTIÇAS, GANHEI MAIS SERENIDADE E PAZ, PORQUE QUANDO NÃO ESTAMOS CULPADOS, NADA TEMOS A TEMER!
Já agora, não sou fingida nem impostora, o que tento passar nos meus escritos é o que me vai na alma, é meu, é a minha forma de ser e de ir aprendendo a viver viver!
Desculpe de só hoje ter colocado no blogue os comentários, pois tenho andado um pouco arredada da blogosfera e nem sequer me lembrou de ver os comentários que tinha à espera de moderação!
Imensamente grata pelo que me ajudou a crescer, que as suas frustrações se desvaneçam e o melhor do mundo para si, com muita saúde, felicidade e bem-estar!
Hermínia Nadais

Hermínia Nadais disse...

Com a Leila já me comuniquei!

Agora, ao meu... ou minha muito amiga anónima! Digo amiga ou amigo, pois não sei se é homem ou mulher, mas penso ser mulher porque homem não me parece poder ter uma postura assim. Disse o que pensa, lá terá as suas razões,mas não é comigo, sabe! Eu gosto de ser frontal, nunca iria comentar nada anónimo, e muito menos para magoar quem quer que fosse.
Diz que eu não tenho originalidade... depende dos pontos de vista!Há coisas que escrevo que são unicamente minhas, há outras em que misturo o que escrevo e o que outros escrevem para que os leitores possam ver que não me julgo senhora da razão, mas aprendo com as pessoas que têm alguma coisa para me transmitir, e tenho muito orgulho nisso!
A senhora... ou o senhor... talvez sem o querer, ensinaram-me muito. Disseram-me que não devemos incomodar nem tentar amedrontar ninguém sem ter certezas do que dizemos, porque isso é muito feio e muito mau. LER OS SEUS COMENTÁRIOS FEZ-ME MAIS FORTE COM AS INJUSTIÇAS, GANHEI MAIS SERENIDADE E PAZ, PORQUE QUANDO NÃO ESTAMOS CULPADOS, NADA TEMOS A TEMER!
Já agora, não sou fingida nem impostora, o que tento passar nos meus escritos é o que me vai na alma, é meu, é a minha forma de ser e de ir aprendendo a viver viver!
Desculpe de só hoje ter colocado no blogue os comentários, pois tenho andado um pouco arredada da blogosfera e nem sequer me lembrou de ver os comentários que tinha à espera de moderação!
Imensamente grata pelo que me ajudou a crescer, que as suas frustrações se desvaneçam e o melhor do mundo para si, com muita saúde, felicidade e bem-estar!
Hermínia Nadais