Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

NÃO GOSTO DE DORMIR



 
Não gosto de dormir
é enfadonho
viver sem nada fazer…
ou sem saber o que se faz;
andar… não se sabe como… nem por onde
e para se saber por onde… não se sabe como se andou…
só com o recordar e reviver o sonho
que tantas vezes até nos magoou!...

Não! Não gosto de dormir!
Eu gosto de sonhar,
sim,
mas acordada,
sonhar
com lírios cor-de-rosa
cravos vermelhos
rosas amarelas
e alfazema perfumada,
com o Sol brilhante
a iluminar o dia,
e os homens delirantes
na maior alegria,
com os pássaros voando
pelos jardins em flor,
e os homens
sorridentes e unidos
a viver na harmonia
do mais profundo amor!
 2011/09/03 – 11.40h