Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 28 de setembro de 2014

O BOLO DE CHOCOLATE



 No vaivém dos dias os momentos sucedem-se e a cada instante nos surpreendem pelo bom ou pelo mau que temos de aceitar com compreensão e naturalidade!
Hoje… decidi fazer o bolo de chocolate que um dos meus netos me sugeriu, com cobertura como ele gosta. Então pensei rechear também o bolo para a sobremesa ficar melhor.
Preparei a massa e coloquei o bolo no forno! Passado pouco tempo senti cheiro a queimado… mas o palito ia dizendo que o bolo estava cru.
Enquanto esperava as ordens do palito… fui preparando o recheio e a cobertura. E quando, finalmente, o palito deu ordens para retirar o bolo do forno… o desenformá-lo, dei com ele queimado por todos os lados, só se aproveitava mesmo a parte superior!
Face ao sucedido, aproveitei a parte boa para rechear e cobrir, mas ao preparar-me para colocar no prato o que restava do bolo… partiu-se todo em bocados.
Fiquei boquiaberta, a comecei a rir às gargalhadas! Ri até não poder mais!
E tive que continuar a rir… pois ao abrir a lata de leite condensado espirrou e sujou-me toda, nem o cabelo escapou.
Estava na hora do almoço, não dava tempo para fazer outro bolo. Deitei o recheio pelas  frestas e reguei-o com a cobertura… e não troquei de roupa para o caso ter mais impacto!  
Ao ouvir a história e ver o bolo… toda a gente se ria!… Mas, a rir-me feito doida, ia replicando que tinha rido mais sozinha do que eles todos juntos.
Agora tenho pena de não ter tirado uma foto ao bolinho sem nome… fruto de um acaso que não percebi!… E o mais curioso é que acharam o bolo  muito bonito, e o sabor… degustaram-no com o maior prazer, e contra o habitual, quase não deixavam uma amostrazinha sequer!
Há um tempinho atrás… acontecer-me uma coisa destas… ai não me dava para rir, tenho a certeza, pois além de vociferar sei lá o quê acho que entrava mesmo em paranóia!
Mas… não interessa olhar o passado… nem temer o futuro!… Urge viver o presente com toda a descontracção, força, satisfação, alegria e saber de que formos capazes!
Boa semana para todos!

Hermínia Nadais

1 comentário:

Pedro Pinho e Suárez disse...

Prezada Amiga,
A cozinha, realmente, só nos proporciona coisas boas! Risos, gargalhadas, convívio, conforto... Desastres... Mas dos bons! Daqueles que nos ensinam a fazer melhor, com o óptimo, melhor que qualquer um, acompanhamento de descontracção.
Adorei o texto. Gostava de ter provado esse bolo, que tanto tem de história como de diversão.
Muito obrigado por continuar a dar vida a este seu blogue. Ao fazê-lo dá-me força e vontade para continuar o meu.
Um grande abraço cheio de amizade!!!