Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sábado, 18 de outubro de 2014

O QUANTO É BELO!



É muito belo o horizonte
no alto de um monte
ou na berma do mar
com gaivotas animadas a planar
sobre barcos a deslizar
nas ondas brandas ou enfurecidas
que alegram o coração
e dão mais sabor às vidas! 
É muito belo!...

Hermínia Nadais

sábado, 11 de outubro de 2014

EM FÁTIMA!



 
O dia está cinzento o céu nublado
viaturas espalhadas por todo o lado
conversas animadas até mais não
cheiro a churrasco e outras iguarias
nesta aldeia ambulante
cheia de tropelias
 mas que enche de ventura
o corpo, a  alma e o coração.

Os sinos tocam apelando à oração
visitantes peregrinos
que afluem em massa
quais meninos
às brincadeiras charmantes
dos pátios da escola...
e por todos os caminhos
de sacola aos ombros
e cadeiras na mão
se dirigem ao Santuário
com a maior e mais convicta devoção!

Que a Mãe de Fátima escute nossa voz
pedindo a Jesus por familiares,
por amigos, por todo o mundo e por nós!

Hermínia Nadais

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Ó SENHOR DOS NAVEGANTES



 

Sopra o vento sobre as águas
neste recanto encantado
onde existem tantas mágoas
que tudo cheira a magoado.

O mar tirano é matreiro
p’rá gente que nele trabalha
rouba filhos rouba pais
deixa toda a gente aos ais
pois a todos ele baralha.

Ó Senhor dos Navegantes
olha todos os instantes
pelos pobres pescadores
não os deixes naufragar
quando os peixes vão pescar
enche-os com Teus favores!

Caxinas, Outubro 2014

Hermínia Nadais

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

MANHÃ DE DOMINGO



Sem retiro me sinto retirada
de tudo o que nos dias me aconchega a vida
algures perdida
com o ruído do mar a encher-me os ouvidos
porque à minha volta não há outros gemidos!

Agora… pessoas já palram incansavelmente
por entre os tectos brancos das habitações
brancas e rolantes, grandes… e pequenas
que aqui se juntam às dezenas
espalhadas pelo enorme espaço
que aconchega a todas no amplo regaço.

E com o sol envergonhado
a espreitar
pôr entre as carregadas e escuras
nuvens…
a manhã avança, assim,
branda e calmamente
na paz doce e tranquila
de toda esta gente.

Caxinas,  Domingo, 2014/10/05 – 10.52
Hermínia Nadais

sábado, 4 de outubro de 2014

À BEIRA MAR



 O ruído da água
é ensurdecedor,
e a sirene do farol
está sempre a tocar.
O sítio é bonito e acolhedor
com belezas da terra
e encantos do mar.

Ao longo da costa espraiam-se as rochas
por entre a areia que as acaricia
e todos unidos se beijam e abraçam
deixando no ar cheiro a maresia.

Nas altas marés
quais flores desfolhadas
as ondas quebradas
enchem todo o espaço
e entre o mar e a terra
acaba-se a guerra
com grande aconchego
num profundo abraço!

Caxinas 2014/10/03
Hermínia Nadais