Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 9 de novembro de 2014

Poeta



 
A alma do poeta
é como uma luz
na penumbra da noite…
vê com clareza
o que mais ninguém
consegue enxergar.

Hermínia Nadais
 
2009/05/11 – 01.51

Sem comentários: