Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 13 de dezembro de 2015

ANJO PROTECTOR


Tenho um anjo protector
nas horas de solidão
quando se vive de amor
nunca as agruras do horror
esmagam o coração.

Ainda que só na vida
solidão não faz sentido
tudo o que tenho sofrido
não dá pena ou dó de mim
com tudo isso cresci
para ser o que hoje sou
gosto de viver assim
voltar ao que fui não vou
não quero tais aflições
agruras ou confusões
prefiro de longe estar só
serei feliz podem crer
em todo e qualquer momento
ainda que no tormento.


2008/09/15 – 16.30h

Hermínia Nadais

domingo, 6 de dezembro de 2015

LOUCURA DE AMOR

Loucura de amor é estar frente aos écrans
com as teclas a bater
o coração a saltitar
e as mãos trémulas a procurar
a melhor forma de apresentar
o que o mais profundo da alma quer dizer.

Loucura de amor
são mensagens trocadas
com ideias cruzadas
palavras emaranhadas
trabalhadas nas frases feitas
e refeitas
compostas e ajeitadas
com carinho e atenção
com desejo de que nos amigos virtuais
nasçam desejos de viver
e de crescer dentro de si mesmos
de mãos dadas com Deus e com o irmão.

Loucura de amor
é ter sempre  presente
que sem as mãos dos irmãos
nunca iremos mais além
porque deles nos vem a força
que nas fraquezas da vida nos sustém.


Hermínia Nadais

terça-feira, 10 de novembro de 2015

ESPINHOS

 

Encontrei-te e ficaste a habitar o meu coração
pois tuas palavras me encheram de emoção
por me lembrarem retalhos de uma vida
que por tudo e por nada decorreu
mais que sofrida
agarrada
a preconceitos e amarguras
que me punham de dia às escuras.

Vi-me ao espelho na luz do teu olhar
pensando em como te poderia ajudar.
O viver incompreendida é o meu forte
e talvez o serei até à morte
mas por sorte
encontrei alguém que me deitou a mão
e reanimou este meu pobre coração.

Comparei a minha vida a uma flor
que abre e alegra porque tem amor
uma rosa bem formosa
mas carregada de espinhos
criada para ser feliz a dar carinhos.

Passei parte da vida a procurar
onde encontrar minhas rosas e meus espinhos...
então deixei as rosas florescer
a arranquei os espinhos um a um
doeu sangrou rasgou e perfurou
mas meu viver ressurgiu e melhorou.

Gastei imenso tempo a meditar
E descobri com amargura que não vale
tirar espinhos de uma rosa alheia...
Teus espinhos são os únicos que podes cortar...
os dos outros não te pertencem... podes crer
e muito embora eles te façam sofrer
a cortá-los, tu não podes obrigar!...

De olhar... no teu olhar!...
com muito ardor
nascem poemas para cantar
cantos de Amor.

2007/08/07 – 16.25

Hermínia Nadais

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Aprendi




Aprendi a enfeitar

a solidão dos dias

com os rendilhados

da noite mal dormida

enquanto o sono se entretém

a vaguear pelo tempo

na procura de resposta

para os porquês da vida...



Aprendi a descodificar

as belezas dos dias

e a sorver-lhe todo o encanto

nas ternuras amenas

das noites sem sono...



Aprendi

que é na escuridão das noites

que conseguimos

ver mais claramente

o que fomos,

o que temos,

o que somos...



Aprendi

que o saboroso silêncio da noite

ajuda a preparar

a paz serena dos dias

e a encontrar

no deleite do descanso

o desejo de sorver

das mais pequenas coisas

as sensações

das maiores alegrias.



2008/04/07 – 15.54h

 Hermínia Nadais

domingo, 30 de agosto de 2015

AMIGOS!



Não sei que dizer aos meus amigos e amigas nem como lhes pedir desculpa.
Senti um certo desconforto pela falta de comentários já faz muito tempo, e lembro que fui mesmo um tanto destratada por um comentário anónimo.
Entretanto, surgiram algumas dificuldades, o tempo começou a escassear e, com muita pena minha, mas raras vezes visito os blogues dos amigos; o tempo não tm chegado!
Ontem, aproveitando as explicações do meu neto mais novo (9 anos) acabou por se desfazer toda a minha confusão!
Como percebo muito pouco de informática, não dei conta de que os comentários passaram a aparecer na parte social, e como não abria esse tipo de emails, estavam lá!
Fiquei muito triste por não me ter apercebido em tempo útil, pois tinha lá comentários de 2013!
A todos e todas o meu muito obrigada e as minhas desculpas.
Logo que se proporcione visitarei os vossos maravilhosos espaços que raramente tenho visitado e formularei novos pedidos de desculpa!
Acreditem que tenho muitas saudades vossas!
Desejo-vos o melhor do mundo e da vida!
Beijinhos a todos e todas!
Hermínia Nadais

domingo, 23 de agosto de 2015

BELEZAS!…



O alto do grande monte me encantou
com um belo jardim que ninguém plantou
mares cor-de-rosa,  brancos amarelados
sobre um fundo verde de tons bem variados.

Um regato lento alaga os terrenos
criando meigos lagos redondos e serenos
e uma escola R3 agora fechada
enverga nos vidros marcas da pequenada
e há casas gigantes belas de encantar
como tanto dinheiro aqui poderá morar?

Um outro ribeiro no espaço se encalha
nas margens um moinho coberto de palha
um parque de lazer belo e espaçoso
com arranjo tal que aos olhos dá gozo.

Pelo vasto horizonte cheio de calor
os lábios se abrem cantando louvor
o parque eólico gigante a valer
espalhado no monte até não mais ver
e é neste espaço que me movimento
sem dar pelas horas que passam no tempo.

Hermínia Nadais
Vindo do XIII Festival das Cerejas em Resende
chegada a Castro d’Aire – 2014/06/02 – 11.32h