Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 23 de agosto de 2015

BELEZAS!…



O alto do grande monte me encantou
com um belo jardim que ninguém plantou
mares cor-de-rosa,  brancos amarelados
sobre um fundo verde de tons bem variados.

Um regato lento alaga os terrenos
criando meigos lagos redondos e serenos
e uma escola R3 agora fechada
enverga nos vidros marcas da pequenada
e há casas gigantes belas de encantar
como tanto dinheiro aqui poderá morar?

Um outro ribeiro no espaço se encalha
nas margens um moinho coberto de palha
um parque de lazer belo e espaçoso
com arranjo tal que aos olhos dá gozo.

Pelo vasto horizonte cheio de calor
os lábios se abrem cantando louvor
o parque eólico gigante a valer
espalhado no monte até não mais ver
e é neste espaço que me movimento
sem dar pelas horas que passam no tempo.

Hermínia Nadais
Vindo do XIII Festival das Cerejas em Resende
chegada a Castro d’Aire – 2014/06/02 – 11.32h

Sem comentários: