Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

domingo, 9 de agosto de 2015

ENCONTROS



Perdida
nos constantes horrores do calor
encontrei o meu coração
na frescura amena do tempo.

Também
já aguentei
gelos e trovoadas
e ainda não morri.

Aprendi
nas agruras da guerra
a lutar nos (des)encontros
pelos encontros.

Agora
esperando reencontrar
uma razoável saúde dos meus olhos
durmo em paz tranquila
porque nada
me poderá ameaçar a vida.

Hermínia Nadais

1 comentário:

Silenciosamente ouvindo... disse...

É bom adormecer tranquila.
Ter essa certeza...
A amiga escreve muito bem sobre as
diversas vertentes da vida.
Bjs.
Irene Alves