Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

FINALMENTE!...


Sim!
Finalmente
comecei a aprender
a parar sem o querer
e a gargalhar ao olhar
para tudo o que há para fazer!

Finalmente
não tenho pressa em correr
nem aos bocados
ainda que o ambiente se afunde
em trabalhos não realizados.

Finalmente
eu percebi perfeitamente
que o melhor da vida
é escutar compreender
e ser presente

Finalmente…
Interiorizei e entendi
correctamente
que sou alguém muito feliz
vagueando ainda por aqui
de mãos bem dadas
com toda a ‘minha’ gente!


Hermínia Nadais

1 comentário:

Maria Rodrigues disse...

Lindo poema
Que o NATAL seja tempo de reflexão e que a sua magia e luz, consiga envolver o nosso coração, fazendo com que ele espalhe, um mundo infinito de estrelas de Amor e Amizade, para iluminar o caminho de todos aqueles que passam na nossa vida.
Desejo-lhe um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de saúde, alegria, sonhos realizados, paz e amor.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco