Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Estou exausta!


Estou exausta
saturada
e cheia de confusão…
Por tudo e por nada
sinto-me aflita
desatinada…
Não sei porquê
tanta barafunda
com que não me entendo…
Estou fora de mim,
com tal desencontro,
que nem a mim própria
eu compreendo.

E nesta amargura infinda
vagueio por aqui
buscando-Te
em todo o tempo e lugar
numa luta incessante
que não posso parar
e a mais gritante que toda a vida vi
porque não consigo, Amor!...
Eu não consigo mais viver sem Ti!

8 comentários:

Jorge disse...

http://ladocego.blogspot.com/

Jorge disse...

http://ladocego.blogspot.com/

Poemas Novos disse...

Engraçado... sinto o mesmo... me sinto embaraçado...

Jorge disse...

obrigado pela visita e pela força..
cumprimentos

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Amanhã será melhor que hoje!

Beijoca

Leonardo Pessoa disse...

Herminia você consegui descrever-me neste texto.

Obrigado!

Janice Adja disse...

Todos passam por este instante de loucura , de incerteza, de trocadilhos, e tantos outros problemas que a vida presentea. Mesmo assim é bom agradecer, isto é o que nos faz sentir vivo.
Beijos!

Hermínia Nadais disse...

Obrigada, Janice, pela visita e pelos tão preciosos e atentos comentários. Volte sempre, e com estes comentários todos às poesias, vou voltar a elas mais vezes, pois tenho andado um pouco esquecida delas.
Beijos