Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... Jesus, Deus/Homem e Homem/Deus!


Jesus é o Deus/Homem porque, existindo com o Pai antes de todas as coisas, tomou carne humana como a nossa no Sagrado Corpo de Maria para ser um connosco, a chorar e a rir, a comer e a beber, a aprender a viver, a rezar, a ler, a trabalhar… pois se assim não fosse não seria um de nós, mas diferente de nós!
Jesus é o Homem/Deus porque, vivendo no mundo como qualquer um de nós, sempre soube discernir o certo do errado, com força e coragem para fazer sempre o bem.
Nasceu numa família como nós! Uma família que nos pode servir de exemplo.
Numa época em que só aprendiam a ler as pessoas ligadas à religião e gestão política, Jesus, sem estar intimamente ligado a nenhuma destas causas, pois lia as escrituras nas sinagogas, nas vivências do sábado, segundo a Lei de Moisés - aprendeu a ler!
Desde os doze anos, em que admirou os Doutores com os inúmeros conhecimentos da Lei Mosaica, até começar o seu ministério de pregação, nada se fala sobre a Sua vida. Mas nas pregações que fez e nas parábolas que contou mostrou um conhecimento ímpar sobre todas as vivências do povo que O viu nascer, conhecimentos enraizados nos anos silenciosos de vida oculta.
Os Evangelhos dizem muitas vezes que Jesus se retirava para rezar - Jesus era Homem, e como tal, precisava da protecção de Deus!
Jesus compadecia-se das pessoas, chorava, acarinhava, tinha fome e sede - era realmente uma Pessoa Humana! Mas distinguiu-se de entre os humanos pela sua humildade, sinceridade, coerência, coragem e valentia… pelas Suas virtudes exercidas no mais alto grau, comportamento próprio do Homem/Deus que Ele era.
Por mais que nos esforcemos, nesta vida terrena nunca conseguiremos saber verdadeiramente quem foi e quem é Jesus! Estou a lembrar-me das palavras de São Paulo: “Quando era criança, reagia como criança; mas agora que sou adulto, terei comportamentos de adulto!”
Quando começamos a conhecer um pouquinho da vida e obra de Jesus Cristo, tendo em conta que Ele era (é) Filho de Deus, temos a tentação de pensar que o Pai o favoreceu, e por isso, nunca poderemos assemelhar-nos a Ele. Mas quando começamos a aprofundar conhecimentos com amor, o amor e a sabedoria de Deus aumentam em nós. E então começamos a ver Jesus como um Homem perfeito, esforçado por cumprir a vontade do Pai amparado pela Sua Graça que Ele pede na oração tal como nós devemos pedir, que agradece como devemos agradecer, que difunde como nós devemos difundir!
O coração dos Homens é o presépio que Jesus deseja no hoje de todo o sempre. E como a perfeição humana não existe, por muito perfeito que seja o Homem, sempre terá algo a aperfeiçoar! E é nesse aperfeiçoamento constante que Jesus vai nascendo cada vez mais profundamente, todos os dias, no coração de quem deseje pertencer-Lhe – na vivência de um permanente Natal.

Hermínia Nadais

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Nascer! (click aqui e acenda a nossa árvore de Natal - enfeite-a de luzes)

Entre tachos e panelas
aspirador panos e pó
netinhos queridos
que não podem estar só
enquanto os pais lutam
pela sobrevivência
nesta dura vida
em que o amanhã
longe ou perto
é cada vez mais incerto.


do que mais gosto, ler e escrever
vaguear por espaços cibernéticos
que me enchem o coração
visitar doentes e velhinhos
que esperam consolação
distribuir palavras e sorrisos
aconchegar corações
cheios de aflições
bocas silenciosas
a quem o mundo faz emudecer
maldades e desigualdades
que fazem estremecer
medos e degredos
que fecham caminhos
e entravam subidas
desesperos desanimados
insatisfações 
e humanas desumanidades
que urge corrigir
para que o mundo possa, enfim
dar as mãos e ressurgir…


tudo o que tanto amo
faz  tempo
que tem passado a outro plano
um desengano assumido com prazer
que a cada momento me alenta e faz nascer


a todos Feliz Natal
com amor paz e perdão
e um ano 2012
cheio de consolação

HN


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... Jesus, a Palavra de Deus!

Os ensinamentos que orientaram o Povo Israelita e de que a Bíblia Sagrada nos fala no Antigo ou Primeiro Testamento, e até mesmo no Novo ou Segundo Testamento, revelam-nos que Jesus é a Palavra de Deus encarnada, o Deus presente ao homem das mais diversas formas e que dá sentido à história narrada na Bíblia! Sem Jesus nem a Bíblia nem a vida poderão ter qualquer sentido!
A Bíblia não é um livro sagrado feito pelo céu e caído do céu, é uma narrativa imensa da história do Deus que fala e do homem que escuta, com cerca de mil e muitos anos, que tem de ser lida e compreendida tendo em atenção a época e o contexto em que foi escrita, para poder ser meditada convenientemente.
Quando se fala da Palavra de Deus, o Deus que fala e sobretudo o povo que escuta, faz-se Revelação, revive-se a história de Deus com o homem.
A Palavra de Deus é Deus que se faz Palavra, comunicação, história. O centro da história é Jesus, que não veio trazer nada de novo ao mundo, mas refazer o que o mundo tinha perdido para lhe dar outra vida mostrando-lhe da forma mais concreta possível o verdadeiro sentido dessa mesma vida - Deus.
Jesus era um homem completamente humano. O Pai do Céu, Deus, revela-se um Humano perfeito no Seu filho Jesus de Nazaré, Homem humano e divino. O humano e o divino não são opostos, completam-se. Adam – Adão, o primeiro homem foi retirado da terra. Jesus, o novo Adão, veio do céu para trazer o céu ao homem.
O pecado apareceu porque o homem era (e ainda é) radicalmente livre.
Falar do pecado e do mal é obra das nossas mãos, e tudo o que é obra do homem está sujeito à caducidade e tende a acabar. O que não faz parte do projecto criador de Deus acabará.
Jesus veio ensinar-nos a viver libertos do pecado. O pecado introduz desordem e  incomunicabilidade, por isso, não faz parte da lógica de Deus nem da lógica do Homem, porque é desumano, e tudo o que é desumano vai contra Deus Criador e contra o Homem, criatura.
Jesus/Deus está comprometido connosco para vencer o mal, o desumano, o pecado.
Esperar a vinda de Jesus é buscar o encontro profundo com ELE para viver segundo a Sua Palavra.

Jesus, que nasceu na história dos homens para lhes mostrar a verdadeira forma de viver, anseia agora nascer na vida de cada pessoa para a ajudar a vencer dificuldades e a ser melhor a cada dia tornando-se cada vez mais uma com ELE através da Sua graça, para, assim, fazer da vida um eterno Natal. 
HN

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... atributos de Deus!



DEUS É:
AMOR - e não pode deixar de amar senão deixaria de ser Deus!
VERDADE – porque tem a sabedoria capaz de saber todas as coisas para compreender e encaminhar os homens no caminho do amor!
JUSTIÇA – porque sabe a verdade e pode julgar com certeza as atitudes de cada pessoa!
CAMINHO – se sabemos e sentimos que Deus é Amor e ama infinitamente, nos pode julgar com justiça porque sabe toda a nossa verdade, o que nos enche de felicidade, a Sua Palavra, Jesus Cristo, tem de ser o nosso verdadeiro caminho!
VIDA – quem ama, acarinha e julga não para castigar mas para chamar e encaminhar para a verdadeira razão - ELE, que se nos apresentou em Jesus Cristo é a nossa vida!
Quando encontrarmos o verdadeiro rosto de Deus expresso no Corpo Vida e Obra de Jesus Cristo e conseguirmos deixar-nos amar por ELE, das situações mais difíceis conseguiremos verdadeiros raios de luz, pois até mesmo aqueles a quem humanamente falando chamaríamos de inimigos por tanto mal nos terem feito, são bem acolhidos e queridos pelo esforço que nos levaram a fazer na busca das soluções mais correctas, ou seja, na busca do bem.
Os verdadeiros inimigos dos homens e mulheres que vivem Jesus Cristo, aconteça o que acontecer, nunca serão os outros homens e mulheres, mas os seus próprios defeitos e desvarios com que têm de lutar, incessantemente, para crescer no amor como Deus quer e Jesus Cristo nos ensinou e provou quando, corajosamente, defendeu o amor, a conversão e solidariedade humana, lutando por ela de tal forma que mereceu dos grandes, dos que obedeciam à lei escrita sem prestar atenção à lei do verdadeiro amor, a morte mais infame e cruel.

Este é o Jesus Cristo que temos de procurar descobrir nos tortuosos caminhos desta vida terrena, ininterruptamente, para fazer da vida um contínuo Advento e Natal, para vivermos na busca do verdadeiro sentido da vida para que fomos criados – Deus!
HN

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... a espera ou Advento!


O Advento é a espera consciente ou inconsciente de Cristo Vivo, que Maria nos ofertou!
Este termo, habitualmente, aplica-se ao tempo que precede a Festa da Celebração do Natal de Jesus Cristo em que preparamos a celebração de uma festa que, muitas vezes, pelas mais diversas e reconhecidas formas, acaba por ser bastante paganizada.
A verdadeira espera de Jesus Cristo vai-se vivendo e convivendo na vida corrente de cada um, no dia a dia, junto de familiares, amigos, vizinhos novos e antigos, numa disposição permanente de mudança interior de atitudes - Metanoia – conversão,  no sentido de nos prepararmos para a novidade total de Jesus Cristo, o que conseguiremos, não nesta fase terrena da vida, mas no momento de passarmos à outra dimensão dessa mesma vida a que chamamos de eternidade, para a qual a morte física é a única passagem.
A Igreja procura ser Sinal de Cristo no mundo, sinal que nem sempre é o mais perfeito, assim como nem sempre é reconhecido e aceite tal como se nos apresenta: Santo porque Deus é Santo – e pecador porque a humanidade é sempre pecadora mas na busca da santidade para o que foi criada!
O verdadeiro Advento, tempo real da espera da presença real de Jesus Cristo no meio dos homens aconteceu no final do Antigo ou primeiro Testamento. Mas, toda a vida humana é uma verdadeira espera e encontro do homem com Jesus, que só acabará com o encontro definitivo do homem com ELE na eternidade.
Jesus, que reconhecemos vivo e actuante no coração e vida dos crentes, não tem mais corpo físico para sofrer nem pés, mãos ou cabeça para ajudar. Os homens e as mulheres, na actualidade, são o corpo carnal de Cristo sofredor e o corpo carnal do Cristo presente para ajudar os homens e mulheres que necessitam de ajuda.
Nesta forma de pensar, vivemos com Cristo todos os dias, todos os dias esperamos Jesus Cristo e todos os dias devemos ser Jesus Cristo junto dos outros.
Esta é a razão por que chamamos a Igreja de “Corpo Místico de Cristo”. Um corpo formado pela CABEÇA/CORAÇÃO – Jesus Cristo – e com todos os homens unidos a ELE e entre si, como corpo e membros dessa CABEÇA/CORAÇÃO.
Nada disto seria possível sem uma enormíssima dose de AMOR – mas como Jesus é Deus e Deus é AMOR, com ELES tudo é possível.
Confiantes que com o PAI/DEUS, JESUS/FILHO DE DEUS e o ESPÍRITO SANTO DO AMOR DE DEUS  - a Trindade de Deus está presente junto de nós, esperemos ser cada vez mais parecidos com esta Santíssima Família e com ELA ajudarmos a espalhar o verdadeiro AMOR/DEUS pelo mundo.
- Isto é viver num Advento e Natal permanentes. Que o Espírito Santo de AMOR nos ajude a sermos, assim, Advento e Natal!
- Isto é viver num Advento e Natal permanentes. Que o Espírito Santo de AMOR nos ajude a sermos, assim, Advento e Natal!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... quem ama permanece em Deus!

A busca da perfeição tem de ser uma constante em qualquer vida que não queira cair no estagnamento atroz de nada lhe dizer absolutamente nada! Pois, ou procuramos algo que nos oriente e valorize a existência, ou não encontraremos sequer mais razões válidas de querermos existir.
Por muito forte que uma pessoa seja, sempre terá ocasiões em que se sente tão angustiado que o sentir-se no colo de alguém é uma necessidade imperiosa e reconfortante.
É certo de que, quem confia em Deus, tem a certeza de que nunca será abandonada ou abandonado por ELE, mas há momentos que nos parece que até mesmo ELE nos deixa absolutamente sós. E… nessas situações extremas, ou se enraíza mais a confiança ou se entra no desânimo mais baralhado que se possa imaginar. São ocasiões muito difíceis na vida de qualquer pessoa! São os momentos de penumbra sepulcral em que não conseguimos encontrar nada a que nos agarrar porque tudo nos parece impossível… esquecidos de que é nessas situações extremas que DEUS está mais presente que nunca e na enorme maioria das vezes carregando-nos amorosamente no SEU colo!
Penso muitas vezes e muito profundamente no verdadeiro Jesus Cristo que muito tarde descobri. Não naquele Jesus pronto a castigar com a imposição de regras e a ordenação de preceitos a cumprir… mas naquele  Jesus que arranjou forma de perdoarem
 à mulher adúltera, que curou em dia de sábado, que chamou o Zaqueu para dormir aquela noite na sua casa…
Deus é amor! E quem ama permanece em Deus!
Amemos… por muito que custe!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... a busca da perfeição!



A perfeição humana é uma utopia! Na realidade, não existe! Uns mais outros menos, todos, indefinidamente, cometemos erros! Mas, mesmo reconhecendo as enormes dificuldades em conseguir fazer algo bem feito, devemos procurar avidamente ser perfeitos em todos os momentos de todos os nossos dias, pois é a única forma de nos mantermos em consonância com a finalidade das nossas vidas! Foi para a perfeição que fomos criados!
Procurar o caminho da perfeição é um imperativo da existência humana! Manter-se no caminho da perfeição é um dever. Chegar a um maior ou menor estado de perfeição é muito variável entre as pessoas, uma vez que não há pessoas iguais!
A luta pela perfeição é um caminho tão longo que começa no nascimento e vai até à morte, ou seja, engloba toda a nossa existência terrena. E segundo as Escrituras, vai consumar-se além da morte, quando pudermos ser admitidos definitivamente na casa do Pai comum a que chamamos Céu, ou seja, estar permanentemente na presença de Deus!
Abala-me a imensa gente que nega a existência de Deus, ou critica ferozmente as pessoas que se esforçam por seguir os Seus ensinamentos que Jesus Cristo nos legou!
Somos humanos, e os seres humanos erram, e é assim que Deus os compreende e aceita! Se antes de criticarmos o que quer que seja olharmos um pouco para nós mesmos com olhos de ver e coragem de admitir, as autocríticas necessárias levar-nos-ão a perder a vontade de criticar seja o que for!
Como seria bom que conseguíssemos olhar caridosamente as pessoas com quem convivemos! O mundo teria mais paz e bem estar e cresceríamos todos muito mais!

sábado, 12 de novembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... o homem na busca de si mesmo!


 Tantas partilhas feitas, tantas questões levantadas, tantas respostas inventadas, tanta busca de esclarecimento de incertezas, tanta aprendizagem, e tanta ignorância!
 Apesar de todos os esforços, apesar de todas as buscas de saber, acabámos por concluir que apesar das aprendizagens imensas fruto dos esforços realizados, quanto mais aprendemos, mais nos convencemos de que não sabe mos nada em comparação com tanta matéria que há para aprender. Se assim não fosse, a vida teria menos interesse e graça.
O homem passa a vida na busca de si mesmo, e por mais que se encontre mais se busca, porque nunca será capaz de desvendar o seu próprio mistério. E então, na grande maioria das vezes, prende-se nas críticas desmedidas aos defeitos e qualidades dos outros.
É muito mais fácil ver os defeitos e as qualidades dos outros do que os próprios defeitos e qualidades. Assumir as qualidades pode parecer orgulho e assumir os defeitos poderá parecer fraqueza, mas não! Estes comportamentos são de coerência e responsabilidade, são a marca da humildade da pessoa.
Devemos assumir as nossas qualidades, não para nos vangloriarmos delas, mas para delas fazermos uso, para as pormos a render ao serviço dos outros; e devemos assumir os defeitos, não para nos envergonharmos deles, mas para iniciarmos a sua autocorrecção.
Se pudermos ajudar os outros, tudo bem! Se não, deixemo-los em paz a fazer a sua própria caminhada.
A única forma de um homem ou mulher poderem crescer como pessoas e como cristãos ou cristãs é fazer um auto reconhecimento de si mesmo.
Nunca poderemos desenvolver as nossas qualidades se as não reconhecermos… assim como nunca poderemos corrigir os nossos defeitos se não descobrirmos quais eles são e não os assumirmos como eles são. E não podemos pensar que isto é fácil, porque não é fácil.
E tanto no desenvolvimento de qualidades como no acabar com os defeitos… escolher um ou uma… e fazer do seu desenvolvimento ou da sua correcção uma batalha, certos de que, se não houver determinação e força de vontade não conseguiremos alterar-nos em nada!
Se todos olhássemos mais para os nossos comportamentos e os analisássemos melhor, não haveria tantas crises financeiras e viveriam todos muito melhor, com mais felicidade e paz!  

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... a experiência humana!



Não interessa quando poderá ter surgido a existência humana. O ser humano existe… há um tempo indeterminado, indefinido, que os homens apenas podem tentar prever, pois a verdadeira realidade não está ao alcance do homem, pelo menos por agora!
Toda a vida é um mistério… mas o maior mistério para cada homem e cada mulher é a sua própria existência, o desenrolar da sua própria vida, as descobertas que vai fazendo de si mesmo, as capacidade ou incapacidades que vai descobrindo nas suas vivências de cada dia.
O fenómeno da globalização trouxe um enorme desenvolvimento social, que por ser uma enormidade, se defronta com inúmeros problemas.
O que é natural numa determinada sociedade pode não ser aceite numa outra, pois cada povo tem as suas características especiais e o seu modo de ser e de viver. Por isso, as atitudes de cada povo ou pessoa têm de ser vistas e interpretadas dentro do seu contexto pessoal e social.
Se este tem de ser o nosso comportamento normal face à diversidade de povos do mundo, se tivermos em conta o desenvolvimento psicossocial através dos tempos teremos de ser ainda mais cuidadosos, pois os comportamentos humanos, nos acontecimentos do passado, têm de ser interpretados à luz da mentalidade e vivências específicas da época em que se foram desenrolando.
Em cada tempo, o Homem será sempre o fruto do passado numa constante transição para o futuro! O passado, porque passou, já nos não pertence, e o futuro, apenas está nas nossas mãos o prepará-lo, uma vez que podemos não chegar a vivê-lo.
A vida é feita de experiências, e se são as experiências da vida as melhores mestras do futuro, não podemos passar a vida a contestar as más vivências do passado! Devemos, sim, lembrá-las, mas somente para prepararmos um melhor futuro, pois as vivências menos boas devem servir-nos de suporte para melhorarmos a nossa maneira de ser. Cabe-nos, a cada instante, viver intensamente o presente na esperança de um futuro promissor.

domingo, 6 de novembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... as plantas e animais!




A Natureza é um mistério insondável. Por mais que os homens tentem desvendar esse mistério, o muito que poderão conseguir tornar-se-á sempre pouco… pois são inúmeros os enigmas a desvendar.
A vida… das plantas ou dos animais, por mais estudos e descobertas que sejam feitas, continuará um mistério, pois não se vislumbra que o homem a consiga dominar completamente.
A fortaleza e beleza das plantas e a compreensão e ternura dos animais são encantamentos sem par! Analisá-los, é a melhor das aprendizagens.
Caída num pouco de terra, uma planta nasce e luta pela vida, aprofundando as raízes e fortalecendo os troncos, cobrindo-se de ramos, folhas, flores e frutos.
Mas… deixemos as plantas, que não saem do seu lugar! Para melhor compreender até onde poderá chegar o Homem, se ele quiser, será muito bom analisarmos o comportamento de muitos dos animais que nos rodeiam, pois quando observados com os olhos da razão e do coração, dão-nos enormes lições.  
Vou descrever o passado de alguns animais com quem convivemos de perto!
Num pequeno recinto tínhamos cães de várias raças, com tamanhos diferentes, que brincavam frequentemente e nunca brigaram entre si, e o mais curioso é que deixavam os gatos comer das suas refeições. E quando ficamos apenas com um cão, uma gata teve várias crias, e a essas crias juntaram-se crias de outras gatas vadias… e outros gatinhos que para ali foram jogados… muitos gatos… e o animal retirava-se, ficava a vê-los comer, e contentava-se com o que os gatos deixavam.
Eu nunca tinha visto tal coisa… mas, os gatos e cães também se entendem!
Agora, a minha filha tem uma cadela enorme, a Bianca! Há cerca de dois anos, trouxe da escola uma outra cadelinha mais pequena, a Sofia. Estávamos receosos pelo encontro e convivência, mas o entendimento foi de tal ordem que, quando a Sofia morreu subitamente, a Bianca passava o tempo a procurá-la pelo quintal, lacrimosa, ao ponto de ficar doente.
Há cerca de um mês, foi apadrinhada uma cadelinha bebé, a “Sofia”… in memória da Sofia… novamente surgiu o receio do comportamento da Bianca, que logo se deliciou com a cadela. Imaginem que há dias foi ao Veterinário sozinha e chorou todo o caminho, na ida e no regresso. Passam o tempo a brincar, numa alegria e compreensão desconcertantes.
Quando posso, gosto de observar documentários sobre animais, e pasmo com o comportamento de muitos deles.
Os animais… continuam simples e naturais… como sempre e sempre iguais a si mesmos.
E nós, seres humanos, inteligentes, superiores… que temos nas nossas mãos parte dos destinos do mundo… como nos comportamos?