Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sábado, 3 de setembro de 2011

NÃO GOSTO DE DORMIR



Não gosto de dormir
é enfadonho
viver sem nada fazer…
ou sem saber o que se faz;
andar… não se sabe como… nem por onde
e para se saber por onde… não se sabe como… se andou…
só com o recordar e reviver o sonho
que tantas vezes até nos magoou!...

Não! Não gosto de dormir!
Eu gosto de sonhar,
sim,
mas acordada,
sonhar
com lírios cor-de-rosa
cravos vermelhos
rosas amarelas
e alfazema perfumada,
com o Sol brilhante
a iluminar o dia,
e os homens delirantes
na maior alegria,
com os pássaros voando
pelos jardins em flor,
e os homens
sorridentes e unidos
a viver na harmonia
do mais profundo amor!

2011/09/03 – 11.40h

5 comentários:

Pedro Pinho Suárez disse...

Mais uma bela reflexão daquilo que seria perfeito na nossa sociedade.
Infelizmente os lírios cor-de-rosa, os cravos vermelhos, as rosas amarelas e alfazema perfumada estão em decadência exactamente por causa dos homens não viverem em harmonia. Por outro lado, o sol está cada vez mais brilhante e quente... tanta luz e calor não nos permitem sonhar. Por isso é que eu peço à Hermínia que continue com o seu maravilhoso trabalho de apelo à cultura correcta e ao bom civismo.
Muita força, amiga!

Cordialmente,
Pedro Suárez

Mariazita disse...

Bom dia, Hermínia
Gostei imenso deste poema!
Também eu considero que o tempo que passamos a dormir é mal empregue, embora necessário... :)
Certo é que o cérebro precisa se reequilibrar através do sono.
Mas nada se compara a sonhar acordada com coisas tão bonitas que a Natureza nos oferece.

Apareça lá na minha «CASA». Dar-me-á muito prazer.

Bom fim de semana. Beijinhos

Maria disse...

Lindissimo poema minha amiga. Há tanta coisa para fazer e o tempo parece não ser suficiente, mas é necessário dormir.
Bom domingo
Beijinhos
Maria

Luís Coelho disse...

Pois eu, rica menina, queria dormir muito mais. Tantas noites acordado tentando juntar as pontas de muitas histórias.
Apenas me fazem sonhar estes sons que acordam o silêncio no teclado do computador.
Precisava de dormir, mas parece que as histórias me fogem e acordado vou tentando agarrá-las e escrevê-las em folhas de rascunhos....

Silenciosamente ouvindo... disse...

Olá amiga, gosto deste seu poema.
Beijinho e desejo que esteja bem.
Irene