Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... Jesus, Deus/Homem e Homem/Deus!


Jesus é o Deus/Homem porque, existindo com o Pai antes de todas as coisas, tomou carne humana como a nossa no Sagrado Corpo de Maria para ser um connosco, a chorar e a rir, a comer e a beber, a aprender a viver, a rezar, a ler, a trabalhar… pois se assim não fosse não seria um de nós, mas diferente de nós!
Jesus é o Homem/Deus porque, vivendo no mundo como qualquer um de nós, sempre soube discernir o certo do errado, com força e coragem para fazer sempre o bem.
Nasceu numa família como nós! Uma família que nos pode servir de exemplo.
Numa época em que só aprendiam a ler as pessoas ligadas à religião e gestão política, Jesus, sem estar intimamente ligado a nenhuma destas causas, pois lia as escrituras nas sinagogas, nas vivências do sábado, segundo a Lei de Moisés - aprendeu a ler!
Desde os doze anos, em que admirou os Doutores com os inúmeros conhecimentos da Lei Mosaica, até começar o seu ministério de pregação, nada se fala sobre a Sua vida. Mas nas pregações que fez e nas parábolas que contou mostrou um conhecimento ímpar sobre todas as vivências do povo que O viu nascer, conhecimentos enraizados nos anos silenciosos de vida oculta.
Os Evangelhos dizem muitas vezes que Jesus se retirava para rezar - Jesus era Homem, e como tal, precisava da protecção de Deus!
Jesus compadecia-se das pessoas, chorava, acarinhava, tinha fome e sede - era realmente uma Pessoa Humana! Mas distinguiu-se de entre os humanos pela sua humildade, sinceridade, coerência, coragem e valentia… pelas Suas virtudes exercidas no mais alto grau, comportamento próprio do Homem/Deus que Ele era.
Por mais que nos esforcemos, nesta vida terrena nunca conseguiremos saber verdadeiramente quem foi e quem é Jesus! Estou a lembrar-me das palavras de São Paulo: “Quando era criança, reagia como criança; mas agora que sou adulto, terei comportamentos de adulto!”
Quando começamos a conhecer um pouquinho da vida e obra de Jesus Cristo, tendo em conta que Ele era (é) Filho de Deus, temos a tentação de pensar que o Pai o favoreceu, e por isso, nunca poderemos assemelhar-nos a Ele. Mas quando começamos a aprofundar conhecimentos com amor, o amor e a sabedoria de Deus aumentam em nós. E então começamos a ver Jesus como um Homem perfeito, esforçado por cumprir a vontade do Pai amparado pela Sua Graça que Ele pede na oração tal como nós devemos pedir, que agradece como devemos agradecer, que difunde como nós devemos difundir!
O coração dos Homens é o presépio que Jesus deseja no hoje de todo o sempre. E como a perfeição humana não existe, por muito perfeito que seja o Homem, sempre terá algo a aperfeiçoar! E é nesse aperfeiçoamento constante que Jesus vai nascendo cada vez mais profundamente, todos os dias, no coração de quem deseje pertencer-Lhe – na vivência de um permanente Natal.

Hermínia Nadais

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Nascer! (click aqui e acenda a nossa árvore de Natal - enfeite-a de luzes)

Entre tachos e panelas
aspirador panos e pó
netinhos queridos
que não podem estar só
enquanto os pais lutam
pela sobrevivência
nesta dura vida
em que o amanhã
longe ou perto
é cada vez mais incerto.


do que mais gosto, ler e escrever
vaguear por espaços cibernéticos
que me enchem o coração
visitar doentes e velhinhos
que esperam consolação
distribuir palavras e sorrisos
aconchegar corações
cheios de aflições
bocas silenciosas
a quem o mundo faz emudecer
maldades e desigualdades
que fazem estremecer
medos e degredos
que fecham caminhos
e entravam subidas
desesperos desanimados
insatisfações 
e humanas desumanidades
que urge corrigir
para que o mundo possa, enfim
dar as mãos e ressurgir…


tudo o que tanto amo
faz  tempo
que tem passado a outro plano
um desengano assumido com prazer
que a cada momento me alenta e faz nascer


a todos Feliz Natal
com amor paz e perdão
e um ano 2012
cheio de consolação

HN


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... Jesus, a Palavra de Deus!

Os ensinamentos que orientaram o Povo Israelita e de que a Bíblia Sagrada nos fala no Antigo ou Primeiro Testamento, e até mesmo no Novo ou Segundo Testamento, revelam-nos que Jesus é a Palavra de Deus encarnada, o Deus presente ao homem das mais diversas formas e que dá sentido à história narrada na Bíblia! Sem Jesus nem a Bíblia nem a vida poderão ter qualquer sentido!
A Bíblia não é um livro sagrado feito pelo céu e caído do céu, é uma narrativa imensa da história do Deus que fala e do homem que escuta, com cerca de mil e muitos anos, que tem de ser lida e compreendida tendo em atenção a época e o contexto em que foi escrita, para poder ser meditada convenientemente.
Quando se fala da Palavra de Deus, o Deus que fala e sobretudo o povo que escuta, faz-se Revelação, revive-se a história de Deus com o homem.
A Palavra de Deus é Deus que se faz Palavra, comunicação, história. O centro da história é Jesus, que não veio trazer nada de novo ao mundo, mas refazer o que o mundo tinha perdido para lhe dar outra vida mostrando-lhe da forma mais concreta possível o verdadeiro sentido dessa mesma vida - Deus.
Jesus era um homem completamente humano. O Pai do Céu, Deus, revela-se um Humano perfeito no Seu filho Jesus de Nazaré, Homem humano e divino. O humano e o divino não são opostos, completam-se. Adam – Adão, o primeiro homem foi retirado da terra. Jesus, o novo Adão, veio do céu para trazer o céu ao homem.
O pecado apareceu porque o homem era (e ainda é) radicalmente livre.
Falar do pecado e do mal é obra das nossas mãos, e tudo o que é obra do homem está sujeito à caducidade e tende a acabar. O que não faz parte do projecto criador de Deus acabará.
Jesus veio ensinar-nos a viver libertos do pecado. O pecado introduz desordem e  incomunicabilidade, por isso, não faz parte da lógica de Deus nem da lógica do Homem, porque é desumano, e tudo o que é desumano vai contra Deus Criador e contra o Homem, criatura.
Jesus/Deus está comprometido connosco para vencer o mal, o desumano, o pecado.
Esperar a vinda de Jesus é buscar o encontro profundo com ELE para viver segundo a Sua Palavra.

Jesus, que nasceu na história dos homens para lhes mostrar a verdadeira forma de viver, anseia agora nascer na vida de cada pessoa para a ajudar a vencer dificuldades e a ser melhor a cada dia tornando-se cada vez mais uma com ELE através da Sua graça, para, assim, fazer da vida um eterno Natal. 
HN

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

NO SENTIDO DA VIDA... atributos de Deus!



DEUS É:
AMOR - e não pode deixar de amar senão deixaria de ser Deus!
VERDADE – porque tem a sabedoria capaz de saber todas as coisas para compreender e encaminhar os homens no caminho do amor!
JUSTIÇA – porque sabe a verdade e pode julgar com certeza as atitudes de cada pessoa!
CAMINHO – se sabemos e sentimos que Deus é Amor e ama infinitamente, nos pode julgar com justiça porque sabe toda a nossa verdade, o que nos enche de felicidade, a Sua Palavra, Jesus Cristo, tem de ser o nosso verdadeiro caminho!
VIDA – quem ama, acarinha e julga não para castigar mas para chamar e encaminhar para a verdadeira razão - ELE, que se nos apresentou em Jesus Cristo é a nossa vida!
Quando encontrarmos o verdadeiro rosto de Deus expresso no Corpo Vida e Obra de Jesus Cristo e conseguirmos deixar-nos amar por ELE, das situações mais difíceis conseguiremos verdadeiros raios de luz, pois até mesmo aqueles a quem humanamente falando chamaríamos de inimigos por tanto mal nos terem feito, são bem acolhidos e queridos pelo esforço que nos levaram a fazer na busca das soluções mais correctas, ou seja, na busca do bem.
Os verdadeiros inimigos dos homens e mulheres que vivem Jesus Cristo, aconteça o que acontecer, nunca serão os outros homens e mulheres, mas os seus próprios defeitos e desvarios com que têm de lutar, incessantemente, para crescer no amor como Deus quer e Jesus Cristo nos ensinou e provou quando, corajosamente, defendeu o amor, a conversão e solidariedade humana, lutando por ela de tal forma que mereceu dos grandes, dos que obedeciam à lei escrita sem prestar atenção à lei do verdadeiro amor, a morte mais infame e cruel.

Este é o Jesus Cristo que temos de procurar descobrir nos tortuosos caminhos desta vida terrena, ininterruptamente, para fazer da vida um contínuo Advento e Natal, para vivermos na busca do verdadeiro sentido da vida para que fomos criados – Deus!
HN