Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sábado, 31 de março de 2012

Será?...


O amor dos homens é muito pequeno 
para nele caber o amor de Deus, 
por isso, o amor de Deus só é possível 
se os homens se esquecerem do seu próprio amor, 
se matarem o seu amor próprio, 
para que, assim, 
possa enraizar-se neles o Amor de Deus 
que é, na realidade, 
“o único” que faz o amor de qualquer homem 
chegar intacto e sem excepção 
a todos os outros homens. 

Hermínia Nadais

2 comentários:

* Ave.Lys * disse...

Querida Hermínia
Eu não podia estar mais de acordo com este texto á guisa de poema.

Mas que bonita essa foto!
Toda desempoeirada e moderna!
Sim senhor!
Já era tempo de mudar aqula foto de apresentação, porque parece ter muito mais idade!
Venho desejar uma Santa Páscoa
Beijo terno com amor
Sempre..
M.

Hermínia Nadais disse...

Olá querida Mariinha!
Obrigada pela visita e pelo elogio, até estou a sentir-me mais menina e tudo.
Está a sugerir-me uma boa opinião... mudar a foto do perfil é capaz de ser mesmo uma boa ideia.
O texto... parece-me realmente razoável... mas... isto... de falar do amor de DEus, é mais que difícil, é mesmo uma aventura porque o amor de Deus não se diz, sente-se e vive-se, como a amiga sabe muito bem!
Deixo os mais sinceros desejos de uma Páscoa muito feliz, cheia de Amor e alegria.
Beijinhos fofinhos e repletos de amor sincero