Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

OLHAR... PARA VER!



Muitas vezes passamos junto de pessoas ou coisas importantes sem lhes darmos o mínimo de atenção, e o que é pior ainda, muitas vezes olhámo-las tão vagamente que nem sequer as vemos!
Achamos muito importante uma viagem ao estrangeiro, os museus, estátuas, praias, paisagens, matas, rios...
 tantas coisas que dizemos encher-nos por completo... esquecidos de que o nosso Portugal, que olhamos todos os dias, está recheado de histórias ímpares e belezas incomparáveis.
Passamos nas cidades a correr, directos aos locais que precisamos, com receio de nos perdermos ou gastarmos tempo demais nas viagens de ida e de regresso. As televisões e internet ocupam-nos por demais, e acabamos por pensar que tudo acaba ali, o que não é verdade! Tantas coisas esplêndidas ao nosso lado, porque não nos interessamos por elas... porque não as olhamos para as ver e admirar... porque não damos valor ao que nos pertence como portugueses que somos?!...
Há que reaprender a reorganizar o tempo de modo a arranjar tempo para poder olhar profundamente à nossa volta como se fosse a última vez... para não perdermos ocasiões propícias para admirarmos tantas maravilhas que sempre nos passam despercebidas!
Hermínia Nadais

Sem comentários: