Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sábado, 18 de fevereiro de 2017

ESTRANHA FORMA DE VIDA

Hoje… como que sem noção do tempo perdi-me nas horas re-vivendo o passado que me transportou a este presente… e sonhando na prefiguração de um deslumbrante futuro… futuro que me não pertence mas penso me será dado viver!
No final… senti uma profunda felicidade pelo muito que poderei ainda vir a fazer pela felicidade de alguém a quem muito amo!
Esta, de facto, é uma boa maneira de encarar a vida quando se nos apresenta mais difícil que o habitual!...
Estranha forma de vida?...
Talvez não!... Mas momentos da vida um tanto ou quanto diferentes de muitos outros e que nos ajudam a ir mais  além no relacionamento familiar e social que necessita por demais da dádiva da compreensão e aceitação, a base do verdadeiro amor!

HN

Sem comentários: