Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Reviver para viver melhor


Tenho imensa saudade do Ano Sacerdotal. Então, sempre que posso, dou uma voltinha pelos sítios onde encontro algo sobre os Sacerdotes para recordar e viver.
Nesta semana das migrações que nos lembra a nossa vida de caminhantes na busca da Pátria Celeste, debrucei-me sobre alguns comentários que falam dos sacerdotes e de alguns dos seus deveres específicos que são também deveres de todos os cristãos.
O presbítero/sacerdote, antes de tudo, é o homem da Palavra de Deus, do sacramento, do ‘mistério da fé’”, com o dever primordial de proclamar o Evangelho de Deus a todos os homens e levar cada homem e cada mulher, pessoa, a um encontro pessoal com Jesus.
Ora, esta forma de estar, não é só para os Sacerdotes, mas para todos os cristãos. Todos nós, que temos o privilégio de termos tido um encontro pessoal, profundo e marcante com Deus, devemos empenhar-nos verdadeiramente para que cada pessoa possa fazer também a experiência de um encontro com Deus, que tem a intervenção do Sacerdote, configurado com Cristo e ao Seu e nosso serviço.
A presença real de Jesus na celebração Eucarística, centro de toda a vida espiritual, deve-se ao ministério do Sacerdote que age na pessoa de Cristo.
“A mais sublime missão do sacerdote hoje é, sem dúvida, ser um Cristo agora, pois ‘Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre’” – mais um dever de todos os cristãos. Serem outros cristos.
O padre deve avançar com o tempo e a história, sendo crítico e vigilante com a realidade que se lhe apresenta – também nós, cristãos.
A primeira e fundamental vocação do padre é a da santidade – também os restantes cristãos, toda a Igreja.
O sacerdote é chamado a ser capaz de dar atenção e valorizar cada pessoa, e ser uma pessoa mística e ao mesmo tempo a interessar-se “pelas coisas do mundo, pela vida do homem, nas suas angústias e alegrias, para que elas se tornem algo sagrado e agradável ao Senhor”.
“O sacerdote é também aquele que procura uma nova linguagem para se comunicar com o mundo de hoje, principalmente neste mundo da multimídia.”
O sacerdócio ministerial “é entrega, é imolação, é doar-se integralmente, é cruz. Tomar a cruz significa comprometer-se para derrotar o pecado que impede o caminho rumo a Deus, acolher cotidianamente a vontade do Senhor, aumentar a fé, sobretudo diante dos problemas, das dificuldades, do sofrimento” – isto também tem de ser a vida dos cristãos.

Rezemos pelos Sacerdotes! Rezemos pelas vocações Sacerdotais! Rezemos para que o Senhor nos ajude a vivermos plenamente o nosso sacerdócio baptismal.
Esta é a vivência que o nosso bispo D. Manuel nos pede na Missão 2010. Sejamos verdadeiros cristãos, em espírito e verdade!

Sem comentários: