Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sábado, 1 de outubro de 2011

DAS BOAS SEMENTES… NASCERÃO BOAS ÁRVORES!


Eu não queria… mas depois de muito pensar, acho mesmo que é melhor começar por aqui... a partir de uma pequena e sumária descrição das minhas atitudes e incertezas e de onde provieram as minhas raízes. Talvez seja a forma mais correcta de fazer chegar à verdade.
Antes de tudo estou convicta de que, quanto mais me esforço por saber viver, mais confusa fico e mais necessidade sinto de procurar, aprender e interiorizar novas aprendizagens para poder integrar bem na vida. Desde que me lembro ser gente foi assim que procedi. Saber muitas coisas e não aplicar os saberes à vida, não faz sentido! Mas… às vezes penso que devo ser a pessoa mais insensata, desmiolada e indecisa na vida! Questiono-me sobre o que fazer e decido sempre pelo que acho mais certo, mas depois, mesmo reconhecendo que somos seres sociais e é na partilha de vida e opiniões que todos crescemos, acabo por não compreender porque o fiz. As opiniões das pessoas têm a ver com a sua forma de ser e de viver, e a minha forma de viver parece-me que não é muito compreensível.
Procuro firmar as minhas convicções e viver de acordo com elas na procura constante de um crescimento integral como pessoa e como cristã! Mas… porque deveria eu partilhar este meu viver no ver e sentir Jesus Cristo?
Não sei! Mais uma vez, não sei! Vivo-O intensamente, tal como O descrevo… e busco-O constantemente, porque a vida fora DELE não faz sentido. E a cada dia ESSE Jesus Cristo me acompanha e está presente, me fecha e abre caminhos das formas mais estranhas e a grande maioria das vezes a parecerem-me descabidas… mas ELE é mesmo assim, os caminhos DELE são quase sempre diferentes dos que nós imaginamos!
Posso afirmar que foi muito difícil chegar a esta forma de viver! Levou muitos anos! Levou uma vida com atitudes boas, menos boas e mesmo más; exigiu muito trabalho pessoal e social no ensino e família, de onde saíram alguns sucessos e muitos desenganos; houve muita dedicação e estudo, meditação e oração, muita partilha a partir da integração em associações e movimentos com grupos específicos de pessoas impregnados dos mesmos ideais que eu; tive muita ajuda e encorajamento de directores espirituais que, empenhada e apaixonadamente dedicados ao seu sacerdócio, gratuita e carinhosamente, me ouviram e continuam a ouvir, observando atenta, amável e cuidadosamente para uma crítica construtiva e um apontar de caminhos para que eu ajuste melhor a minha caminhada…
Agora, é de suma importância verificar que as árvores, de pequeno ou grande porte, aparecem sempre a partir de uma semente. As sementes que me germinaram já partiram para o Pai! De sempre as vi totalmente impregnadas do verdadeiro viver cristão. Duas pessoas simples, mas com uma profunda espiritualidade cristã e grande sabedoria adquirida na “Universidade da vida” que é a que melhor nos ensina.
Viviam ligadas ao rude amanho da terra, numa inter-ajuda constante com os habitantes da pequena aldeia e uma atenção muito cuidada aos que mais precisavam, a quem socorriam dos modos mais diversos.  
Das boas sementes, há oportunidade de nascerem boas árvores, que, se nascidas em boa terra e cuidadas com carinho, podem produzir muito bons frutos.
Será… que algum dia conseguirei ser um destes bons frutos?!...

7 comentários:

carlos sousa disse...

Com certeza sim! Assim demonstras em tua bela escrita!

rosa-branca disse...

Olá amiga, fiquei a pensativa ao ler o seu texto. A minha avó me dizia muitas vezes, que de uma boa árvore pode nascer uma má semente e de uma árvore ruim pode nascer uma semente maravilhosa. Será que é assim? Tenho visto tantas coisas ao longo da vida, e acho que num certo sentido ela tinha razão, mas há que tentar e sempre que a semente seja boa. Eu penso que se for bem tratada e cuidada com amor será certamente boa. Beijos com carinho

selma disse...

Herminia belo texto,vim desejar um maravilhoso fim de semana,beijos

Anónimo disse...

Cara Hermínia Nadais,

Acordo com consigo. Uma boa educação permite crescer bem, em sociedade.
Olhemos para as sociedades com raíz católica apostólica romana: Itália: homens incapazes de controlar as suas emoções. Portugal: Homens incapazes de controlar as emoções.
Porque falhou o ensino do controlo das emoções? Interessa à Igreja? Ou será que não interessa ensinar? Os filhos devem saber que não é normal o pai bater na mãe e não é normal bater nos filhos. Mas a igreja durante muitos anos colocou a "vassoura" nas mãos dos homens e as mulheres nada podiam dizer e os filhos deviam seguir esses exemplos.

Outra questão fundamental é: porque ser cristão romano? Porque dar crédito ao vaticano se na aldeia se pode fazer melhor?
Enfim, porque exportar a moralidade do vaticano se somos mais acertivos do que o vaticano. Por exemplo, é imoral proibir o preservativo.

Olhando para sociedades agnósticas: controlo emocinal, presente, respeito pelos outros, presente. Moralidade não implica submissão a uma religião. Fé não implica submissão a uma religião.

Embora agnóstico seja uma palavra errada(que os romanos devem gostar), por isso uso a designação de não agnóstico para não dizer gnóstico, também é uma boa forma de crescer em conjunto.

Cumprimentos,

Hermínia Nadais disse...

Muito obrigada por todas estas observações, que são muito pertinentes.
A crítica construtiva melhora a forma de pensar e agir da sociedade.
Já chega de negativismos, de autoritarismos, de críticas descabidas, de nos pensarmos mais uns do que os outros, de nos andarmos a atropelar indefinidamente.
Quem tem um pouquinho de entendimento para pensar sabe que há muita gente maravilhosa e caritativa que não frequenta as igrejas nem pertence a qualquer Igreja, assim como há pessoas na Igreja que não se portam nada bem.
Sabe, Jesus Cristo é Santo... mas os homens... têm defeitos.
Vou aguardando comentários!
Todos serão bem-vindos.
Assim, eu não precisarei de me esforçar para decidir o que escrever, vou respondendo, aos pouquinhos, porque tudo tem uma razão de ser.
Os homens... são pecadores, não tenhamos dúvidas.
Beijinho, bom domingo!...

Bonecas da Filó disse...

Olá herminia! Gostei muito deste texto, já tinha saudades de aqui vir.
Gostei muito de ler tambem os comentários, estamos sempre a aprender.

Tenho as minhas filhas na catequese e nos escoteiros, assim como eu tambem andei, a mais velha faz agora o crisma e quer dar catequese, ela tambem é animadora na Igreja canta e toca viola na missa. Eu não puderia estar mais contente. A minha dedicação está a dar frutos, tenho fé que tudo correrá bem. São boas alunas e boas meninas.

Vá aparecendo! Já estavamos a sentir a sua falta. Beijinhos e uma boa semana para si, cheia de inspiração.

Maria disse...

Querida amiga tenho a certeza que sim, que é e será sempre um fruto maravilhoso.
Bom restinho de domingo e uma excelente semana, plena de paz e serenidade.
Beijinhos
Maria