Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

QUESTÕES… E INVESTIGAÇÕES!


Nós, seres humanos, somos realmente muito importantes em relação aos restantes animais – para isso somos animais racionais, o que os outros animais não são.
A racionalidade é uma conquista diária de cada homem e de cada mulher, que buscam, cada qual, nas mais variadas questões e investigações, os caminhos que levem à felicidade para que todos fomos criados. Na certeza, porém, de que ninguém poderá ser feliz se não der felicidade às pessoas com quem convive!  
Todas as pessoas são dotadas de inteligência, vontade, sensibilidade, razão… e têm capacidade de interiorização, de trabalho, de atenção, de meditação, de partilha, de compreensão... mas cada pessoa é diferente da outra. Cada uma é como é, e é assim, como é, que deve partilhar o que tem de acordo com as suas aprendizagens e vivências, pois são elas que marcam o ritmo da caminhada e o local exacto onde essa caminhada se encontra. Para o crescimento ser constante como queremos, o dia de hoje tem de ser melhor vivido do que o de ontem e o de amanhã melhor vivido do que o de hoje.
Não tenhamos ilusões! A vida é uma caminhada, onde, aos poucos, nos vamos descobrindo a nós mesmos e a quanto nos rodeia, tarefa muitas vezes inglória e onde encontramos muitos imprevistos.
Nunca fui contra a Igreja nem contra Roma! Muito pelo contrário! Eu pensava mesmo que as pessoas que não pertencessem à Igreja de Roma não eram boas pessoas!... Na minha cabeça havia os bons e os maus!… E tudo o que a Igreja fizesse para derrotar os maus… para mim… estava certo. Esta era a mentalidade da época em que nasci e no meio ambiente em que fui criada… sem rádios… sem televisões… com pouco acesso aos escassos jornais e com grande número de pessoas analfabetas ou quase. Vivia a tentar cumprir tudo quanto a Igreja mandava com um medo horrível dos castigos de Deus.
Quando comecei a estudar, aos vinte e quatro anos, e o Fonseca me disse que Jesus não tinha nascido no dia de Natal… fiquei arrasada; falaram-me também nas riquezas do Vaticano… e eu questionava-me sobre essas e outras riquezas, sobre arrogâncias, orgulhos, maus exemplos… depois admirava-me como havia pessoas que comungavam em todas as Eucaristias o que eu achava que não estava certo pela falta de dignidade… e por aí além.
Destas e doutras questões…  por todas as formas, procurei saber as razões. Eu vivia angustiada. O Ser Humano é naturalmente religioso e eu sempre fui muito humana… mas não me sentia bem dentro da religião professada, nem queria procurar outra. Como professora do primeiro ciclo, frequentava todas as acções de formação de Moral e Religião católica e de vez em quando procurava uma acção de formação bíblica, mas nada disto respondia às minhas questões.
Um dia, enchi-me de coragem, fui ter com um padre e contei-lhe todas as minhas dúvidas!… Com muito poucas palavras, esse representante de Jesus mudou radicalmente a minha vida, ou melhor dizendo, Jesus mudou a minha vida através das palavras do padre, que me disse mais ou menos assim:
- Não importa o que você já foi, agora vai ser muito melhor;
- Não importa o dia em que Jesus nasceu… o importante é que ELE nasceu, viveu, morreu, muitos homens e mulheres privaram com ELE e deixaram-nos provas disso;
- As pessoas não comungam nas Eucaristias por serem dignas de comungar… porque ninguém é digno de receber Jesus! Quando for à Eucaristia comungue também! Você gosta dos seus filhos mesmo que eles façam asneiras, pois gosta?!... Então, Deus é como um Pai muito bom que gosta muito de todos os seus filhos, sem excepção, sejam crentes ou não crentes! E gosta muito de si, assim como você é! E esquece das suas asneiras! Deus não é como nós! ELE perdoa e esquece! A Comunhão dá-nos mais força para podermos evitar o mal e praticar o bem, por isso, sempre que possamos, devemos comungar.
- E vai fazer o favor de ser muito feliz, está bem? Medite muitas vezes o Salmo 130, que lhe vai fazer muito bem.
Saí de junto dele radiante. Aos poucos, com avanços e recuos, com a ajuda de Deus e como dádiva de Deus, fui aumentando a Fé e a Esperança em Deus e a Caridade para com os homens; com a meditação da Bíblia e documentos da Igreja aprendi a rezar e a olhar mais profundamente para o meu interior!…  A minha vida entrou num processo de mudança radical… o que levou a mudar a vida da minha família. Lentamente, fui compreendendo o quanto estava errada, e, acima de tudo, que ninguém é senhor absoluto do conhecimento nem da razão.
Bem vistas as coisas, não faço agora nada diferente do que fazia antes, mas faço-o de forma diferente do que fazia, com mais organização, com mais amor e menos medo, com mais confiança e alegria, não para dar nas vistas mas muito simplesmente para ajudar, para ser solidária, para ser presente!
Lentamente, fui compreendendo que na Igreja não podemos confundir a Santidade de Deus com as fraquezas dos homens. Eu, cada vez sinto mais fortemente o quanto a presença e acção de Jesus/Deus tem melhorado a minha maneira de ser pessoa e cristã… e cada vez admiro mais aquelas pessoas que praticam tanto bem longe destas vivências.
Deus fala a todos os homens e mulheres das mais diversas maneiras… ELE é AMOR e ama a todos sem excepção… vamos até ELE, por Jesus, que  “é Caminho, Verdade e Vida” (Jo 14, 06)! Deus está, realmente, com todos os homens de boa vontade!
Que Ele seja louvado!
A Igreja, obedece à voz do Mestre! Ela fala muito, porque não pode estar calada! Os cristãos não podem guardar para eles a imensa felicidade de viver a Fé em Jesus Cristo, porque Jesus Cristo veio ao mundo por todos os homens e todos os homens têm o direito de O conhecer! Contra tudo e contra todos, os cristãos têm que mostrar Cristo aos não cristãos.
Se me disserem que os cristãos têm defeitos, é verdade; que a Igreja tem defeitos, é verdade; que há muitos erros cometidos pela Igreja e pelos cristãos, é verdade!... Neste mundo, a perfeição não existe! Mas que a Igreja tem feito grandes coisas e continua a fazer, é uma verdade que não podemos calar! E o facto de ainda existir depois de tantas perseguições e com tantas perseguições… só prova que não é obra dos homens, mas de Deus!
Tudo o que acontece com os cristãos é obra de Cristo através da Sua Igreja! Eu sou cristã! Como posso calar a acção da Igreja de Jesus Cristo em mim?
Vou continuar a falar! Eu não posso estar calada!

3 comentários:

Anónimo disse...

Espero que não fique novamente arrasada, mas olhe para os Cristãos Ortodoxos Coptas. Qual a interpretação que eles fazem das escrituras, a mesma de Roma?

Não importa o dia em que Jesus nasceu… ?

Não importa o que ele fez durante a adolescência?

Se ele é apenas um mito, para substituir os outros mitos... não importa.

Falar do Solestício de Inverno e dizer que é o nascimento de um novo ciclo...

Falar do Equinócio de Março e dizer que a natureza renasce com a Primavera...

É mais factual do que falar do um mito que não se sabe, só se imagina a belo prazer de quem se diz seu representante, sem provas.

A questão principal é o status quo com que os representantes da igreja se apresentam. E por isso os crédulos dão autoridade, ao perguntar sobre a própria vida a um desconhecido representante de roma.

Eu não dou crédito tacitamente a um qualquer representante de roma. Eles são o que fazem e não o que dizem... bem tentam convencer do oposto... mas só acredita quem quer.

Porque é que acreditava que quem não fosse da igreja era má pessoa?

Quem quis que isso fosse assim?

Anónimo disse...

Deixo esta 2ª mensagem com um pouco mais de humor:

Sei que os Monty Python's tentam colocar palavras na minha boca sobre Brian. Mas como posso eu saber o que se passou na vida de Brian? Simples:

Alugar o filme: Life of Brian dos Monty Python's. A vida de Brian?

Assim já pode falar da vida de Brian, convictamente. Ou será apenas um filme?

Anónimo disse...

Como 3ª mensagem deixo uma imagem:

http://comunidade.sol.pt/photos/jardimsecreto/picture2163400.aspx