Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

AMIGO!...




Quando a saudade aperta
O coração bate forte
O peito dói de cansaço
A cabeça lembra a morte!

Amigos na nossa vida
São anjos que Deus envia
Para calar o sol ardente
E da noite fazer dia.

Tirar-nos da escuridão
Livrar-nos do lamaçal
Dar-nos as mãos no caminho
Para nos guiar de mansinho
E nos retirar do mal.

Amigo da minha vida
Não sei como agradecer-te...
Procuro-te na escuridão
Mas nunca consigo ver-te.

Andas escondido, algures
Nas duras lutas da vida
Trabalhando teus ideais…


Não sei se lembras de mim
Mas esquecer-te… eu não consigo
Lembro-te cada vez mais.

Hermínia Nadais

1 comentário:

Maria Rodrigues disse...

Amigos são muitas vezes farois que nos guiam quando as tempestades da vida se abatem sobre nós. Lindo e sentido poema.
Beijinhos
Maria